O Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol instaurou um processo de inquérito do Benfica no âmbito da acusação da SAD encarnada no processo e-toupeira. De acordo com a Rádio Renascença, a abertura do inquérito deve-se ao facto de a acusação defender que os atos praticados pelo assessor jurídico do Benfica, Paulo Gonçalves, são “suscetíveis de afetar a verdade, lealdade e a correção da competição e do seu resultado na atividade desportiva”.

Em comunicado, o CD disse que o processo foi instaurado “no âmbito das competições desportivas profissionais” e tem por base o “comunicado de autoridade judiciária e notícias na comunicação social.

Leia o comunicado na integra:

Instaurado processo de inquérito, por decisão do Presidente do Conselho de Disciplina, de 5 de setembro de 2018, com base em comunicado de autoridade judiciária e notícias na comunicação social.

O processo foi enviado, hoje, à Comissão de Instrutores da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, mantendo-se em segredo até ao fim do inquérito.

Benfica e Paulo Gonçalves acusados no caso e-toupeira. Clube arrisca suspensão que pode ir de 6 meses a 3 anos

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR