Antecipando-se ao Salão de Paris, a Toyota acaba de revelar a variante station wagon do Corolla. Denominada Touring Sports, tal como já acontecia com o Auris, a nova carrinha vai surgir aos olhos do público pela primeira vez no certame francês, lado a lado com o hatchback que, apesar de ter surgido em Genebra (ainda como Auris) foi desvendado apenas por fora, sem dar a conhecer o interior.

Nada de diesel, o maior espaço interior do segmento e uma generosa bagageira serão os maiores argumentos da nova carrinha japonesa que, à semelhança do actual Prius, recorre à nova plataforma TNGA, o que lhe permite apresentar-se como mais do que uma mera versão ‘esticada’ do hatchback. Aliás, o construtor nipónico sublinhar que o facto de a Touring Sports ter sido concebida de raiz como uma station wagon aporta numerosas vantagens para um modelo de natureza eminentemente familiar. A saber, uma habitabilidade de topo na sua categoria, com a Toyota a garantir mesmo que quem se senta atrás dispõe do maior espaço para as pernas do segmento, o que foi conseguido muito por conta da generosa distância entre eixos (2,70 metros), que cresce 6 cm face ao Corolla de cinco portas – claramente uma evolução face à anterior geração, em que as duas variantes de carroçaria exibiam praticamente a mesma distância entre eixos.

Outro dos trunfos da Corolla Touring Sports reside na capacidade de levar este mundo e o outro na bagageira, que cresceu 68 litros face à carrinha Auris, passando a reclamar agora 598 litros de capacidade – um bom valor mas, ainda assim, aquém da sua maior rival, a Volkswagen Golf Variant (605 litros), já para não lembrar os 610 litros da Skoda Octavia Combi.

Por fora, o destaque vai para a possibilidade de pintar a carroçaria a dois tons, o que se por um lado permite enfatizar as linhas mais desportivas do design, por outro, é uma verdadeira lufada de ar fresco numa marca a que sempre associámos o adjectivo de “conservadora”. Já no interior encontram-se vários itens que conferem à Corolla Touring Sports a necessária dose de modernidade, do sistema multimédia Toyota Touch, passando pelo head-up display, sem esquecer o carregamento wireless de smartphones ou o sistema de som da JBL.

Em termos mecânicos, a carrinha Corolla monta suspensões McPherson à frente e multilink atrás, sendo os amortecedores adaptativos um opcional. Sem qualquer versão a gasóleo, os clientes vão poder optar apenas entre  um 1.2 turbo a gasolina de 118 cv ou duas motorizações híbridas, uma associada ao motor 1.8 de 124 cv, a outra com um bloco de 2,0 litros e 183 cv.