Eleições Europeias

Marine Le Pen adota políticas de Matteo Salvini para as eleições europeias

Marine Le Pen disse que para as eleições europeias vai adotar a linhas políticas de Matteo Salvini, ministro do Interior italiano, tendo em vista "uma revolução democrática" na Europa.

SEBASTIEN NOGIER/EPA

A líder da extrema-direita francesa Marine Le Pen disse esta quinta-feira que para as eleições europeias vai adotar a linhas políticas de Matteo Salvini, ministro do Interior italiano, tendo em vista “uma revolução democrática” na Europa. “[Matteo Salvini] conhece muito bem as nossas posições. Nós vamos apoiá-lo. Nós vamos, evidentemente, fazer uma campanha com as mesmas linhas políticas” disse Marine Le Pen à estação francesa Radio Classique.

Le Pen acrescentou: “Temos uma grande amizade e eu tenho um grande respeito pelo que ele [Matteo Salvini] está a tentar fazer” “Com todos aqueles que partilham na Europa as nossas ideias vamos, efetivamente, fazer uma revolução democrática europeia”, sublinhou a deputada francesa referindo-se às vitórias da extrema-direita em Itália e na Áustria.

“O nosso objetivo não é conseguir mais um ou dois eurodeputados. O nosso objetivo é podermos constituir uma coligação maioritária no Parlamento Europeu para pararmos com o rumo louco que a União Europeia está a trilhar”, disse Marine Le Pen que não vai ser cabeça de lista, mas vai participar na campanha e nas eleições que se vão realizar em 2019.

Para Marine Le Pen “não existe Europa sem nações livres e soberanas e acusou o chefe de Estado francês, Emmanuel Macron, de não estar a defender a Europa mas sim a União Europeia. “Uma estrutura antidemocrática (…) com resultados absolutamente catastróficos nos planos social e económico”, criticou referindo-se à União Europeia.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Governo

A famiglia não se escolhe? /premium

Alberto Gonçalves

Se ainda não se restringiu o executivo aos parentes consanguíneos ou afins do dr. Costa, eventualidade que defenderia com empenho, a verdade é que se realizaram amplos progressos na área do nepotismo

Governo

A famiglia não se escolhe? /premium

Alberto Gonçalves

Se ainda não se restringiu o executivo aos parentes consanguíneos ou afins do dr. Costa, eventualidade que defenderia com empenho, a verdade é que se realizaram amplos progressos na área do nepotismo

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)