Cinema

James Bond, Han Solo e Michael Corleone: os papéis icónicos que Burt Reynolds recusou

O falecido ator norte-americano morreu esta quinta-feira e deixou um vasto legado cinematográfico. Contudo, a sua filmografia podia ter sido bem maior do que foi.

Burt Reynolds, que morreu esta quinta-feira aos 82 anos, tinha uma longa e impressionante carreira. No entanto, basta olhar para a lista da Variety, de papéis que o ator terá recusado, para perceber que essa filmografia podia ter sido bem maior.

“Todos eles teriam mudado a minha carreira, sem dúvida”, afirmou o próprio Burt nas suas memórias (“But Enough About Me”, no título original) ao falar dos papéis que recusou ao longo dos anos. Na listagem que se segue estão alguns deles.

James Bond

Um dos maiores arrependimentos de Reynolds foi o de não ter aceite o papel do famoso espião britânico James Bond. A razão para a nega? O público não aceitaria que um norte-americano fosse o 007. Pelo menos foi este o argumento que terá apresentado ao produtor Albert “Cubby” Broccoli, quando este lhe ofereceu o papel, depois de Sean Connery ter desistido. “Foi uma coisa muito estúpida de dizer”, afirmou o próprio Reynolds numa entrevista dada à USA Today em 2015. “Eu conseguiria fazê-lo e tê-lo-ia feito muito bem”.

Michael Corleone de “O Padrinho”

Burt também recusou o papel de Michael Corleone no clássico intemporal “O Padrinho”, mas desta nega não se arrepende. Numa entrevista com Andy Cohen no programa “Watch What Happens Live”, Reynolds justificou-se dizendo que, na altura, havia rumores de que Marlon Brando ia despedir-se se ele entrasse no elenco. “Deixou-me lisonjeado que ele ficasse tão chateado”, explicou.

Han Solo de “A Guerra das Estrelas”

“Eu simplesmente não queria fazer aquele tipo de papéis nessa altura”, revelou o ator ao Business Insider em 2016. Sobre o papel que acabou por ir parar a Harrison Ford, Reynolds diz que hoje está arrependido da decisão. “Quem me dera tê-lo feito”.

O papel de Richard Gere em “Um Sonho de Mulher”

Apesar de ter dito ao Sydney Morning Herald, em 2016, que “se houvesse uma rapariga bonita como protagonista, eu aceitava qualquer papel”, Burt recusou o papel que ficou nas mãos de Richard Gere. “Porquê? Porque sou um idiota”, explicou no mesmo “Watch What Happens Live”.

O papel de Jack Nicholson em “Voando Sobre um Ninho de Cucos”

No mesmo programa em que foi entrevistado por Andy Cohen, Burt explicou que queria “desesperadamente” o papel em questão, mas acabou por recusá-lo. Jack Nicholson viria a aceitar e, com isso, ganhou um Óscar.

O papel de Bruce Willis em “Assalto ao Arranha-Céus” e o de Jack Nicholson (novamente), em  “Laços de Ternura”

Reynolds revelou a Cohen que não se lembra de recusar nenhum destes papéis, apesar da história se ter tornado num rumor de Hollywood.

“Não podes voltar atrás”, revelou ao Sydney Morning Herald. “Não podes reviver os momentos em que devias ter dito ‘Sim, eu aceito!’. Curiosamente, o papel de Nicholson em “Laços de Ternura” rendeu-lhe outro Óscar.

“M*A*S*H”,” “Taxi Driver,” e “Rocky”

Rumores valem o que valem, mas é tido como certo em Hollywood que os papéis principais destas três obras estiveram quase a calhar a Burt Reynolds — que chegou a confirmar tudo na entrevista ao Sydney Morning Herald.

O sucesso de “Boogie Nights”… que esteve para não acontecer

O próprio Burt Reynolds chegou a admitir que recusou sete vezes o papel de Jack Horner no famoso filme de Paul Thomas Anderson. Segundo o que contou ao apresentador Conan O’Brien, acabou por aceitar o papel, mas admite que nunca chegou a ver o filme que lhe valeu a sua primeira e única nomeação para um Óscar: “Simplesmente não era o meu tipo de filme”, revelou, admitindo ainda que o tema da pornografia deixava-o “muito desconfortável”.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: dlopes@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)