O rapper norte-americano Mac Miller morreu esta sexta-feira, avançou o TMZ, um website especializado em celebridades. De acordo com o mesmo site, as autoridades suspeitam que o músico e ex-namorado da cantora Ariana Grande terá morrido de overdose.

Miller, de 26 anos, terá sido encontrado já sem vida por um amigo na sua casa, em San Fernando Valley, Los Angeles. O artista já tinha enfrentado alguns problemas relacionados com consumo de substâncias.

Malcolm James McCormick, nome verdadeiro do músico, nasceu a 19 de janeiro de 1992 em Pittsburgh, no estado norte-americano da Pensilvânia. O seu último álbum, Swimming, foi lançado no mês passado e a tour estava marcada para começar em outubro. Mac Miller, recorde-se, esteve recentemente no festival MEO Sudoeste e atuou no Rock in Rio, em 2014.

Mac Miller falava sobre as suas lutas do passado através da música, fazendo referências a abuso e morte, especialmente no seu álbum autobiográfico lançado em 2014, Faces (em portugues “caras”).

Depois do fim da sua relação com Ariana Grande, em maio, Miller foi preso por conduzir sob influência de drogas e atropelamento e fuga. A cantora revelou que os problemas com o consumo de substâncias foram uma das razões para o fim da relação. “Cuidei dele e tentei apoiá-lo na sua sobriedade e rezei para o seu equilíbrio durante anos (e vou sempre fazê-lo, claro), disse a cantora num tweet. “Não sou uma babysitter ou uma mãe e nenhuma mulher deve sentir que precisa de o ser”, acrescentou.

Nas redes sociais, algumas celebridades, especialmente do mundo da música, já reagiram à morte de Miller. Chance The Rapper relembrou o momento em que o músico o levou na sua segunda digressão da carreira. “Além de me ajudar a lançar a minha carreira, ele foi um dos tipos mais queridos de sempre. Grande homem.(…) Estou completamente destroçado”, disse o músico no twitter.