Desaparecimentos

Encontrado corpo de britânico desaparecido há 19 dias em barragem de Ourique

O corpo do britânico desaparecido há 19 dias na barragem de Santa Clara, no concelho de Ourique, foi encontrado a boiar nas águas da albufeira, disse fonte dos bombeiros à agência Lusa.

NUNO VEIGA/LUSA

O corpo do britânico desaparecido há 19 dias na barragem de Santa Clara, no concelho de Ourique, foi este sábado encontrado a boiar nas águas da albufeira, disse fonte dos bombeiros à agência Lusa.

Segundo o comandante dos Bombeiros Voluntários de Ourique, Mário Batista, o corpo veio à superfície e foi encontrado a boiar nas águas e perto das margens da albufeira por um funcionário de uma propriedade situada junto à barragem e que alertou a corporação às 09h30.

Os bombeiros deslocaram-se ao local e alertaram as autoridades e, cerca das 12:00, aguardavam a chegada de elementos da Polícia Judiciária e do Núcleo de Investigação Criminal da GNR para se poder retirar o corpo das águas da barragem, disse o comandante.

Depois de retirado das águas e feitas as perícias necessárias pela Polícia Judiciária e pela GNR, o corpo será transportado pelos bombeiros para o Gabinete Médico-Legal e Forense do Baixo Alentejo, no hospital de Beja, para ser autopsiado, adiantou o comandante.

As buscas para encontrar o britânico, de 29 anos, que estava desaparecido desde o passado dia 20 de agosto, após ter caído à água na barragem de Santa Clara, no concelho de Ourique, no distrito de Beja, no Alentejo, terminaram na passada quarta-feira e sem que o corpo tivesse sido encontrado.

Mário Batista tinha dito à Lusa que as autoridades decidiram terminar as buscas na quarta-feira, às 19:00, porque, através de vários meios, havia sido batida a área da barragem referenciada e que devia ser batida sem que o corpo tivesse sido encontrado.

As buscas, que decorreram durante 17 dias, envolveram uma média diária de 50 a 60 elementos apoiados por 21 veículos e seis embarcações de várias entidades, nomeadamente dos bombeiros voluntários de Ourique, Odemira, Beja, Mértola, Serpa, Moura, Aljustrel e Carcavelos, das unidades de salvamento aquático de Faro, Portalegre, Santarém, Leiria e Setúbal, da Força Especial de Bombeiros, da GNR e do Instituto Nacional de Emergência Médica.

Segundo Mário Batista, o homem integrava um grupo de 10 pessoas de nacionalidade britânica que estava a navegar na barragem, sendo que seis seguiam a bordo de uma embarcação e quatro numa boia, tipo banana, que era rebocada pelo barco.

“As quatro pessoas que estavam na boia caíram à água, tendo três voltado para o barco e um homem está dado como desaparecido”, explicou.

O alerta para o desaparecimento foi dado às 16h54 de 20 de agosto, tendo sido iniciadas as buscas, que foram sendo suspensas ao final da tarde e retomadas ao início da manhã dos dias da operação e terminaram na quarta-feira.

Segundo a cadeia de televisão Sky News, o britânico estava a passar férias no sul de Portugal com a família de Jon Hunt, milionário do ramo imobiliário do Reino Unido e fundador da Foxtons, uma das principais agências imobiliárias do país.

Já o jornal britânico Telegraph indicou que o homem, que era amigo do filho de Jon Hunt, estava a passar férias com a família na zona de Ourique, onde o empresário britânico possui várias propriedades.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)