Rússia

Mais de mil pessoas detidas na Rússia em manifestações contra o governo

Mais de mil pessoas foram detidas durante as manifestações de protesto na Rússia contra a legislação sobre pensões de reforma convocadas pelo dirigente da oposição Alexei Navalni.

ANATOLY MALTSEV/EPA

Autor
  • Agência Lusa
Mais sobre

Mais de mil pessoas foram detidas no domingo durante as manifestações de protesto na Rússia contra a legislação sobre pensões de reforma convocadas pelo dirigente da oposição Alexei Navalni, que se encontra preso por ter organizado concentrações ilegais.

De acordo com o portal informativo OVD-info, de Moscovo, o número de detenções em dezenas de cidades da Rússia ascende a 1.018, sendo que cerca de metade dos manifestantes em causa foram detidos em São Petersburgo, a segunda cidade do país.

Em Yekaterimburgo, capital dos Urais, foram detidas 183 pessoas, apesar de as autoridades afirmarem que o número total de detenções é três vezes inferior àquele que está a ser divulgado pelos órgãos de comunicação social da oposição.

O Sindicato dos Jornalistas da Rússia disse, entretanto, que durante a cobertura das manifestações três repórteres foram agredidos pela polícia e 15 foram detidos. Na capital dos Urais, os meios de comunicação social exigem que as forças de segurança libertem os jornalistas que ficaram detidos frisando que os repórteres estavam a trabalhar e a exercer o direito de informar.

O porta-voz do Departamento do Ministério do Interior na região dos Urais, Valeri Gorelij, disse ao jornal Novaya Gazeta, da oposição, que a polícia não vê diferenças entre jornalistas e manifestantes.

Os protestos contra a mudança da lei sobre as pensões que prevê o aumento da idade de reforma foram autorizados apenas em 12 localidades, a nível nacional, enquanto nas restantes 59 cidades — incluindo Moscovo e São Petersburgo — a realização das manifestações foi proibida.

De acordo com os apoiantes de Alexei Navalni, participaram nos protestos de domingo entre 60 a 80 mil pessoas em todo o país. Esta segunda-feira espera-se a libertação da maioria dos detidos que devem vir a ser presentes a um juiz nos próximos dias.

Alguns manifestantes enfrentam, no entanto, penas de prisão porque foram acusados de agressões a agentes das forças de segurança. Os protestos coincidiram com a realização das eleições locais que decorreram em 80 das 85 capitais regionais da Federação da Rússia.

Alexei Navalni, um dos nomes que tem liderado movimentos de oposição encontra-se a cumprir 30 dias de prisão por ter organizado anteriormente uma manifestação ilegal contra o governo e o presidente Vladimir Putin.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)