Mais de 40 artistas vão participar na 2.ª edição do Encontro Bianual de Artes Performativas — (Re)union, que decorrerá a partir de quinta-feira em vários espaços de Lisboa, de acordo com a organização.

Até 23 de setembro, na Casa da América Latina, no Espaço Alkantara, no Espaço da Penha e na Rua das Gaivotas 6, os artistas vão apresentar trabalhos, partilhar as suas práticas de pesquisa através de ‘workshops’ e intervir no espaço público da cidade. O objetivo é “propor um diálogo com a criação e incentivar a experimentação e reflexão”, indica a organização.

A 2.ª edição do Encontro Bianual de Artes Performativas — (Re)union é uma iniciativa autónoma de jovens artistas nacionais e internacionais, provenientes de 13 países, “interessados em contribuir para uma comunidade de artistas através de atividades auto-organizadas, e com uma forte vontade de gerar cruzamentos entre pares”.

Nos seis espaços da capital, vão ser apresentados espetáculos, performances, processos de “work in progress” e ateliers, destinados a crianças e adultos, com a maioria da programação de acesso livre. O (Re)union convidará também os artistas e o público à participação num conjunto de debates em torno da criação contemporânea nas artes performativas.

A 21 de setembro, às 18h, será apresentado o livro “My background is now: memórias e processos de uma formação em dança contemporânea”, cuja equipa editorial é formada por Claudia Canarim, Julia Salaroli, Sezen Tonguz e Vitória Teles Grilo. A coordenação do (Re)union é da responsabilidade de Sezen Tonguz, coreógrafa e performer que tem apresentado os seus trabalhos na Europa, Brasil e no Estados Unidos.

Desde 2009, Sezen Tonguz tem sido artista residente no Atelier Concorde (Portugal), Buitenwerkplaats (Holanda), Devir/CAPA – Centro de Artes Performativas do Algarve (Portugal), CENTA – Centro de Estudos de Novas Tendências Artísticas (Portugal), Forum Dança (Portugal), O Rumo do Fumo (Portugal), Tanzquartier Wien (Áustria), Uruzcunzeiro (Brasil).