A 8 de outubro, dia em que se assinalam os 20 anos do anúncio da atribuição do Prémio Nobel da Literatura a José Saramago, terá início em Coimbra o congresso internacional “José Saramago: 20 Anos com o Prémio Nobel”, que irá reunir investigadores de várias nacionalidades, professores, estudantes e público em geral. Organizado pelo Centro de Literatura Portuguesa da Universidade de Coimbra e pela Câmara Municipal no Convento de São Francisco, o evento vai arrancar com a apresentação do Último Caderno de Lanzarote, um inédito descoberto em julho passado que reúne os diários de Saramago de 1998, ano em que recebeu o prémio.

O programa do congresso, que se irá decorrer ate 10 de outubro, inclui quatro conferências — com as intervenções de Teresa Cristina Cerdeira (Universidade Federal do Rio de Janeiro), David Frier (University of Leeds), Roberto Vecchi (Università di Bologna) e Carlos Reis (Universidade de Coimbra) — e três mesas plenárias, circunscritas aos temas “Personagens e identidades”, “Diálogo sobre Deus e Saramago” e “Outros Saramagos: transmediações”. Durante os três dias, serão ainda apresentadas cerca de 60 comunicações.

Livro inédito de Saramago vai ser publicado. É o diário de 1998, o ano em que ganhou o Nobel da Literatura

Além do programa científico, será ainda apresentada, depois do encerramento do congresso por Pilar del Río no dia 10, a adaptação dramatúrgica de O Ano da Morte de Ricardo Reis, pela companhia Éter — produção cultural, e entregues os prémios de um concurso de ensaios sobre José Saramago destinado a estudantes do ensino secundário.

De acordo com a Universidade de Coimbra, o congresso internacional conta já com mais de duas centenas de inscritos. As inscrições (sem proposta de comunicação) terminam no próximo dia 15 de setembro (sem proposta de comunicação) e têm um custo de 35 euros. A ficha de inscrição encontra-se disponível no site do congresso e os pagamentos realizam-se através da Loja Virtual da Universidade de Coimbra.