Atualidade

Primeiras fotos. “Showroom” da Polestar será assim

A Polestar revelou imagens de como serão os seus espaços físicos. Simples e minimalistas, pretendem inovar na interacção com clientes, oferecendo uma experiência similar a uma… galeria de arte?

A nova marca de performance eléctrica do Volvo Car Group ainda não avançou onde se localizará o seu primeiro showroom, prometendo que o fará em breve. Mas já levantou a ponta do véu acerca daquilo que os clientes podem esperar: os espaços físicos da Polestar serão tudo menos convencionais. Tão fora do normal que quem lá trabalhar não terá a pressão de vender carros… Mas já lá vamos.

Segundo o CEO da recém-criada marca, Thomas Ingenlath, o objectivo passa por ter “cerca de 60 lojas em todo o mundo que servirão de apoio aos mercados-chave”. Isto até 2025, depois o plano passa por abrir mais espaços, mas apenas e só à medida que a nova insígnia da Volvo for progredindo e conquistando clientes. Até lá, a estratégia consiste basicamente em implantar showrooms “em grandes cidades”, preferencialmente “acompanhados por outras marcas inovadoras”. Uma lógica que aponta para um posicionamento próximo de uma clientela urbana e com interesse nas novas tecnologias.

Mas, por aquilo que se lê na nota enviada à imprensa, a Polestar ainda não tem as ideias muito bem “arrumadas” no que toca à ligação com os clientes, pois ao mesmo tempo que se afirma como “uma marca totalmente digital”, reconhece que precisa de espaços físicos para contactar directamente com os clientes, permitindo-lhes “interagir com especialistas de produto, conhecer a engenharia e, claro, realizar um test-drive. Mas não passa disso, pois as vendas serão exclusivamente online.

Queremos que uma visita a um showroom Polestar seja uma experiência completamente diferente daquelas a que os clientes estão habituados. O nosso objetivo será surpreendê-los. Uma vez que os automóveis serão encomendados online, no espaço Polestar os clientes não serão pressionados para assinar um contrato”, esclarece Thomas Ingenlath.

É, de facto, uma abordagem nova e surpreendente. Afinal, lembrará a alguém fazer um test-drive depois de já ter encomendado o carro? Por outro lado, convenhamos que não será difícil os clientes ficarem espantados se quiserem adquirir um determinado modelo, depois de experimentarem o veículo, e forem informados que para tal têm de submeter a encomenda através da Internet.

Em contrapartida, fica desde já promessa de que os futuros espaços da Polestar vão oferecer ao cliente uma experiência “semelhante a uma galeria de arte”. Faz sentido: numa galeria de arte não se vendem carros. A intenção será, antes, admirar. O quê? “Componentes como as rodas ou as secções em fibra de carbono irão estar expostos e serão, por si só, capazes de exibir o seu design inimitável. Os acabamentos, as cores ou os estofos serão também apresentados num contexto único”, antecipa a Polestar.

Recorde-se que, de momento, a Polestar tem apenas um modelo, o 1, disponível já para encomenda, embora comece a ser produzido apenas em meados do próximo ano.

Participe nos Prémios Auto Observador e habilite-se a ganhar um carro

Vote na segunda edição do concurso dedicado ao automóvel cuja votação é exclusivamente online. Aqui quem decide são os leitores e não um júri de “especialistas” e convidados.

Participe nos Prémios Auto ObservadorVote agora

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: scarvalho@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)