Stormy Daniels, a atriz porno que denunciou Trump ao alegar que terá tido um caso com o presidente norte-americano, disse na quarta-feira que vai lançar um livro de memórias que irá “fazer explodir as nossas mentes”.  Resta a dúvida: irá Trump entrar nestas memórias?

No programa CBS News’ 60 Minutes, Stormy Daniels conta ter feito sexo com Donald Trump num quarto de hotel, em julho de 2006 – quatro meses após o nascimento de Barron Trump, o filho do presidente com Melania Trump (casados desde 2005). Além disso, propôs-lhe aparecer no seu programa de televisão, The Apprentice (O Aprendiz).

Donald Trump, por sua vez, nega ter tido um caso com a atriz, ainda que o seu advogado pessoal, Michel Cohen, tenha pago 130 mil dólares (cerca de 112 mil euros) a Stormy Daniels, na véspera das eleições de 2016, em troca do seu silêncio. Este dinheiro viria mais tarde a ser reembolsado por Trump a Cohen, o qual veio a admitir um tempo depois que recebeu ordens do presidente norte-americano para o tal pagamento. 

A atriz acabou por processar o presidente, em março de 2018, processo em que Daniels descreve esforços por parte de Cohen para a intimidar, de forma a que a história não viesse ao de cima. Em 2011, já tinha sido alvo de uma pequena ameaça, quando um homem que desconhecia se aproximou dela e da sua filha, em Las Vegas, e a avisou para não vender a sua história com Trump a nenhum órgão de comunicação social, usando a criança como alvo.

Na passada quarta-feira, na entrevista no programa de televisão The View, Stormy Daniels conta que tem andado a trabalhar na compilação das memórias para o livro, nos últimos dez anos, e que quando houver referências a Trump vai relacionar-se ao mesmo tempo com a sua vida pessoal e a sua carreira como atriz porno.

Tenho andado a trabalhar no livro nos últimos 10 anos, portanto o que fiz agora foi apenas juntar todas as partes. Guardei notas das aventuras que tive na estrada e em strip clubs. O livro vai rebentar as vossas cabeças”, disse Stormy Daniels durante a entrevista no The View.

Stormy Daniels não foi, porém, a única a ter-se envolvido com o presidente: também Karen McDougal, modelo da Playboy, aceitou 150 mil dólares de um editor do tablóide National Enquirer pelos direitos da história que havia contado sobre um caso com Trump, mas nunca chegou a ser publicada. O editor era, ao mesmo tempo, um amigo próximo do presidente norte-americano e acabou por ser interrogado pelo advogado Robert Mueller.

Stormy Daniels avisa Trump de que “uma tempestade vem a caminho” em sketch do Saturday Night Live

O livro de memórias de Stormy Daniels, intitulado “Full Disclosure” vai conter dados sobre como é que a atriz alcançou o papel de atriz principal e de produtora no cinema, sobre a sua infância e sobre os acontecimentos que levaram ao fim do “pacto de silêncio” com Trump.