Explosão

Explosões e incêndios em várias localidades a norte de Boston causam dez feridos e um morto

113

As explosões e os incêndios deram origem à evacuação de vários bairros nos quais a população sentiu cheiro a gás. Dez pessoas estão hospitalizadas e há, pelo menos, uma vítima mortal.

Getty Images

Dezenas de quarteirões urbanos a norte da cidade de Boston, nos Estados Unidos da América, foram abalados esta quinta-feira por explosões nas condutas de gás que provocaram incêndios e levaram à evacuação de vários bairros de três localidades do estado de Massachusetts — Lawrence, Andover e North Andover, que têm, no total, mais de 146 mil habitantes.

Pelo menos dez pessoas foram hospitalizadas, duas em estado crítico. Há um bombeiro entre os feridos e as autoridades confirmaram a existência de uma vítima mortal. Leonel Rondon, de 18 anos, morreu depois de uma explosão ter feito cair uma chaminé em cima do seu carro. Rondon, que vivia em Lawrence, ainda foi transportado para o hospital, mas acabou por morrer, refere a CNN.

Durante a noite de quinta-feira, a polícia recebeu entre 60 a 100 queixas de incêndios, explosões e relatos de um cheiro intenso a gás em Lawrence, North Andover e Andover. O chefe da polícia de Methuen, Joseph Solomon, disse ao Western Massachusetts News que os fogos tinham alastrado de tal forma que nem se conseguia ver o céu. A mesma fonte adiantou, citada pelo USA Today, que arderam entre 20 a 25 casas só na zona de Lawrence. Em Andover, foram combatidos 35 fogos.

Apesar destes dados iniciais, ainda não se sabe ao certo qual a extensão dos danos provocados.

“Tem sido esmagador”, admitiu o chefe dos bombeiros de Andover, Michael B. Mansfield. “Sou bombeiro há 39 anos e nunca vi nada como isto… Parecia o Armagedão, parecia mesmo”, disse aos jornalistas. 

Pelo menos oito mil clientes da empresa Columbia Gas, na região de Merrimack, tiveram de abandonar as as suas residências depois de autoridades terem apelado à evacuação, indicando que a distribuidora deveria reduzir a pressão das linhas de gás, demorando, no entanto, “algum tempo” a encerrar completamente todo o sistema.

Entretanto, a National Grid anunciou que planeava contar todo o fornecimento de gás para evitar mais explosões, refere o The Washington Post. Numa conferência de imprensa, o presidente da câmara de Lawrence, Dan Rivera, apelou aos habitantes se refugiassem a “norte do rio” Merrimach, sem porém adiantar quando é que podiam regressar a casa. Também em North Andover foi pedido a todas as pessoas com gás em casa que saíssem das suas residências “até nova ordem”.

A eletricidade também tem estado a ser desligada em Lawrence, Andover e North Andover e, segundo a CNN, já há cerca de 18 mil clientes sem luz elétrica. Quatro linhas de comboio entre Boston e Maine tiveram de ser canceladas, e os passageiros estão a ser transportados de autocarro. Foi pedido aos funcionários públicos e a todos aqueles que não trabalham para os serviços de emergência que não fossem trabalhar esta sexta-feira em Lawrence, Andover e North Andover.

Ainda é demasiado cedo para avançar com possíveis causas do incidente, mas a imprensa local deu conta de que se terá tratado da rotura de uma conduta de gás. A primeira explosão, noticiou a WBZ News, terá sido provocada por um excesso de pressão.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: nvinha@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)