O objectivo não é, pelo menos para já, colocar a Vera – assim se chama o tractor de semi-reboque da Volvo –, a circular em estrada aberta, forçando-a a lidar com o trânsito e a confusão que sempre caracteriza as vias rodoviárias. Apenas porque não só estas não estão preparadas para o veículo, como este não está ainda em condições de as enfrentar.

Para já, a Vera vai mostrar serviço em portos e armazéns de logística, podendo deslocar contentores de um lado para o outro, segundo o vice-presidente da soluções autónomas na Volvo, Mikael Karlsson. Ainda de acordo com este quadro sueco, “a camionagem continuará a cargo de condutores de carne e osso durante muitos anos, mas este tipo de veículos sem condutor, em breve, estará ao serviço em áreas limitadas”.

A Vera foi apresentada em Berlim, é 100% eléctrica e monta um motor de 185 kW (cerca de 252 cv), o que é muito para um carro, mas mal dá para “aquecer” quando se puxam 32 toneladas. Contudo, para funcionar apenas em zonas planas, sem fazer ruído ou poluir, tem o seu potencial.

A alimentar a Vera estão baterias de iões de lítio, cuja capacidade pode oscilar entre 100 e 300 kWh, consoante as necessidades do cliente, garantindo no máximo 300 km de autonomia. Preços ainda não há, mas é tudo uma questão de tempo.