Cinema

O punhal, o relógio e a toga. Mais de 300 bens pessoais de Robin Williams vão a leilão

O punhal do Capitão Gancho, o relógio de "Dead Poets Society" e até uma toga que Daniel Radcliffe usou no primeiro filme Harry Potter vão ser vendidos. O dinheiro angariado será entregue à caridade

O relógio do “Dead Poets Society”, um Globo de Ouro, a capa original de Harry Potter… Todos estes artefactos (e muitos mais) faziam parte da coleção privada de Robin Williams (e da mulher, Marsha) e vão ser postos à venda, em leilão, no próximo dia 4 de outubro. Segundo relata o El País, mais de 300 objetos que pertenceram ao ator serão vendidos pela Sotheby’s de Nova Iorque.

A coleção oferece uma visão íntima do célebre artista que morreu em 2014.”O mais entusiasmante é que se trata de objetos que a família escolheu e que acompanhou o seu dia-a-dia”, afirmou à EFE Nina del Río, a vice-presidente da leiloeira, enquanto segurava num quadro de Bansky intitulado “Happy Choppers”, de 2006, que é um dos lotes à venda — estima-se que este item possa ser vendido por cerca de 517 mil euros. “Este quadro aborda temas que interessavam pessoalmente a Williams  e recordam o seu trabalho no filme ‘Good Morning Vietnam’ [1987]”, contou a mesma del Río. A pintura em questão foi um presente dado por Marsha, a produtora de cinema com quem Williams esteve casado durante 20 anos.

Foi a própria viúva que, junto dos filhos, decidiu colocar em marcha o leilão. A coleção “Creating a Stage: The Collection of Marsha and Robin Williams” poderá alcançar valores entre os 2,8 e os 4 milhões de euros. Parte do dinheiro angariado será doado a várias instituições que o casal sempre apoiou, como a The Juilliard School, o Wounded Warrior Project, a Challenged Athletes Foundation, e ainda a Christopher & Dana Reeve Foundation. O restante valor será utilizado para criar a Fundação Robin Williams, organização que terá como objetivo conceder bolsas de estudo a alunos desfavorecidos que queiram estudar na prestigiada escola de arte Julliard, em Nova Iorque. Marsha “sente que é o momento ideal para lhe prestar homenagem e, com isso, seguir em frente com as suas vidas”, comentou ainda a vice-presidente.

Entre os lotes que vão a leilão há uma grande coleção de objetos ligados cinema e à carreira do próprio Robin Williams. Os Globos de Ouro que venceu pelo seu trabalho em filmes como “Mork and Mindy”, “Good Mornig, Vietnam”, “The Fisher King” e “Mrs. Doubtfire”, por exemplo, estarão à venda – e cada um deles tem o preço estimado de 17200 euros. Entre a lista de artefactos que serão leiloados encontram-se o punhal que usou no filme “Hook”, um quadro que aparecia numa das cenas de “Good Will Hunting” — e que foi pintado pelo próprio Gus Van Sant, o realizador da obra — e até a escultura “Le poete et sa muse”, da artísta Niki de Saint-Phalle (que o ator mantinha no seu rancho, na Califórnia). Este último elemento, por exemplo, poderá ser vendido por um valor entre os 300.000 a 344.000 euros.

Especialistas estimam que o objeto mais concorrido será o relógio que Robin utilizou no filme “Dead Poets Society”. “O Robin era um ávido colecionador de relógios. Neste leilão, 40 dessas máquinas estarão à venda — esta em concreto [a utilizada no filme em questão] tem uma inscrição com o seu nome, o título do filme e o ano em que estreou”, relatou Nina del Río.

Móveis, obras de arte, objetos de desporto assinados por LeBron James e o pugilista Muhammad Ali (que deixou a dedicatória “és um homem realmente doce e uma pessoa muito especial”), um exemplar da primeira edição de “Waiting for Godot”, de Samuel Beckett — tudo isto vai poder ser comprado.  O artefacto mais surpreendente, porém, é a toga original que Daniel Radcliffe utilizou para fazer de Harry Potter, no primeiro filme do franchise. Williams era um enorme fã da história de magos e feiticeiros (“Sabemos que essa toga do Harry Potter também chamará à atenção dos fãs”).

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: dlopes@observador.pt
Crónica

Questões afetivas, sexuais e outras /premium

Laurinda Alves

Ler o que escreve Halík dá que pensar e ajuda a pôr muita coisa em perspetiva. Amanhã estará em Lisboa e vai, também ele, encher auditórios e anfiteatros. Vem para colocar o dedo em muitas feridas.  

Crónica

Questões afetivas, sexuais e outras /premium

Laurinda Alves

Ler o que escreve Halík dá que pensar e ajuda a pôr muita coisa em perspetiva. Amanhã estará em Lisboa e vai, também ele, encher auditórios e anfiteatros. Vem para colocar o dedo em muitas feridas.  

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)