O número de vítimas mortais devido à passagem do furacão Florence na costa leste dos Estados Unidos da América continua a aumentar. Depois de Roy Cooper, governador do estado da Carolina do Norte, confirmar a morte de 15 pessoas, à medida que os níveis da água continuam a aumentar, o Departamento de Segurança Pública da Carolina do Sul informou que uma mulher de 30 anos se despistou devido aos lençóis de água na estrada em que seguia, em Gilbert, embatendo contra uma árvore, elevando o número de mortos para 16.

Entre estes está um homem que se afogou na Carolina do Sul quando a carrinha de caixa aberta onde seguia capotou e foi sugada por um esgoto de escoamento. Duas pessoas morreram por inalação de monóxido de carbono, lançado pelo gerador que estava dentro da sua casa.

O número de vítimas pode vir a aumentar, acompanhando a subida dos caudais dos rios durante aquela que está a ser descrita pela Associated Press como a segunda fase de um “desastre em acumulação”. Há centenas de habitantes da Carolina do Norte e do Sul a precisar resgate, com o grupo de salvamento Cajun Navy, que já ajudou cerca de 200, a apontar para entre 300 a 500 o número de pessoas que precisam de ser salvas, refere a CNN.

Apesar de a intensidade da tempestade ter sido diminuída pelo Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos da América para uma depressão tropical, as autoridades sublinham que o perigo ainda existe, nomeadamente pelo efeito de transporte das águas do oceano para terra. “Inundações súbitas e grandes cheias continuarão a afetar uma parte muito significativa das duas Carolinas”, alertou o organismo. Kevin Arata, porta-voz do governo da cidade de Fayetteville, na Carolina do Norte, garantiu que “o pior ainda está para vir”.

Mais de 760 mil casas e escritórios continuam sem eletricidade nos estados da Carolina do Sul e do Norte, temendo-se que os habitantes possam ficar sem água e luz durante semanas.  Em Wilmington, no estado do norte, as estradas foram cortadas devido às chuvas intensas e à água lamacenta que inundou bairros inteiros depois de o rio Cape Fear ter galgado as margens, refere a Associated Press. Um vídeo partilhado no Twitter mostra uma enorme cratera provocada pelo desabamento de uma estrada em Wilmington:

A tempestade Florence segue em direção ao sudeste dos Estados Unidos, a uma velocidade de 23 quilómetros por hora. Ao final da manhã de domingo, o olho estava localizado a cerca de 40 quilómetros de Greenville, na Carolina do Sul, segundo a CNN.