A queda de um andaime no hotel Ritz de Madrid provocou a morte de uma pessoa e fez 11 feridos. Dois estão em estado grave e outros quatro continuam a ser assistidos. Os restantes cinco, todos trabalhadores da obra, foram assistidos no local e já tiveram alta médica. A vítima mortal, segundo o diário espanhol El Mundo, foi localizada debaixo dos escombros.

O acidente teve lugar às 16h10 locais (menos uma hora em Lisboa), quando uma estrutura em ferro cedeu no sexto andar do hotel. O hotel não estava em funcionamento, encontrando-se encerrado há cerca de seis meses para obras de renovação.

Segundo a descrição feita por alguns dos empregados da obra, além do andaime derrubado, também caiu parte da estrutura do edifício, atingindo um total de seis andares, ficando apenas visíveis dois elevadores. Ao local do acidente deslocaram-se três corporações de bombeiros, pelo menos meia dúzia de ambulâncias e agentes das polícias municipal e nacional.

“Foi uma atuação extremamente célere [das autoridades]”, considerou o vereador Javier Barbero, responsável pelo pelouro da Segurança na autarquia da capital espanhola. “O trabalho dos nossos profissionais foi impressionante, pude testemunhá-lo no local”, acrescentou numa primeira reação aos jornalistas.

O hotel encontra-se junto ao Passeio do Prado, uma artéria central de Madrid. A construtora responsável pelas obras de renovação do hotel já anunciou a abertura de um inquérito para esclarecer as causas do acidente. As obras duram desde o fim de fevereiro e tinham um prazo de conclusão de um ano. O orçamento inicialmente estipulado era de 99 milhões de euros.

Desde o início do ano, e de acordo com a informação avançada pelo El País, na capital espanhola registou-se um forte aumento do número de acidentes laborais. Nos primeiros oito meses, houve 62.359 acidentes de trabalho – o que representa um aumento 6,59% em relação ao mesmo período do ano passado. O número de mortos em contexto laboral também subiu, passando de 35 a 51 – um crescimento na ordem dos 45,71%.