A Comissão Europeia anunciou a terça-feira a mobilização de um pacote de ajuda de emergência no montante de dois milhões de euros para apoiar as vítimas do tufão Mangkhut nas Filipinas.

Sublinhando “os devastadores efeitos” do tufão, que provocou mais de 100 mortos nas Filipinas, de acordo com o mais recente balanço, o comissário europeu responsável pela Ajuda Humanitária e Gestão de Crises, Christos Stylianides, precisou que a ajuda se destina a garantir abrigo, distribuição de bens de primeira necessidade, água, saneamento e segurança alimentar “para os mais vulneráveis entre aqueles que perderam as suas casas”.

A União Europeia irá financiar organizações humanitárias que já se encontram a trabalhar nas áreas afetadas e também está a prestar apoio com a disponibilização do serviço de cartografia por satélite “Copernicus” para um levantamento das áreas mais afetadas, indicou o executivo comunitário.

Depois da devastadora passagem pelas Filipinas, o tufão seguiu para a China, afetando sobretudo a província de Guangdong, no sul, onde pelo menos quatro pessoas morreram e 2,5 milhões tiveram de ser realojadas, de acordo com a comunicação social estatal.

A região administrativa de Macau também foi afetada pelo tufão, com registo de 40 feridos, segundo o último balanço oficial.

No domingo, o sinal 10 de tempestade tropical, o máximo de uma escala com 1, 3, 8 e 9, esteve em vigor durante nove horas naquele território, o mais longo período registado desde 1968.