Nicolás Maduro

Maduro almoça e fuma charutos em restaurante de luxo na Turquia: “Isto é só uma vez na vida!”

5.213

Durante uma "paragem técnica" em Istambul, Nicolás Maduro foi filmado a jantar num dos restaurantes mais famosos e caros daquela cidade turca. "Isto é só uma vez na vida!", disse à mulher.

Nicolás Maduro disse que recebeu um convite para ir ao restaurante Nusr-Et Steakhouse, em Istambul

O Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, foi filmado a jantar ao lado da sua mulher num dos restaurantes mais caros de Istambul, ao mesmo tempo que o seu país vive uma crise alimentar que levou a que cada adulto perdesse em média 11,7 quilos em 2017. Após várias críticas, o chefe de Estado da Venezuela esclareceu que foi ao restaurante por convite.

“Isto é só uma vez na vida!”, ouve-se Nicolás Maduro a dizer à mulher, Cilia Maduro, que, além de primeira-dama, é atualmente deputada na assembleia constituinte venezuelana e também já foi procuradora-geral da república. A frase do Presidente da Venezuela surge segundos antes de o chef do restaurante, o turco Nusret Gökçe, começar a cortar um lombo de carne numa pose algo teatral.

Num segundo vídeo, também é possível ver Nicolás Maduro de charuto na boca e com uma t-shirt com a imagem daquele chef, que se tornou numa celebridade devido ao gesto peculiar que usa para pôr sal na comida. O próprio Presidente da Venezuela, em brincadeira, imita esse mesmo gesto.

Segundo o La Patilla, jornal online venezuelano, os vídeos foram publicados primeiro no perfil de Nusret Gökçe, que pouco depois viria a retirá-los. No entanto, estes foram resgatados a tempo por vários utilizadores de diferentes redes sociais. Entre eles, conta-se Julio Borges, opositor a Nicolás Maduro exilado na Colômbia. “Enquanto os venezuelanos sofrem e morrem de fome, Nicolás Maduro e Cilia desfrutam de um dos restaurantes mais caros do mundo, tudo isto à custa do dinheiro roubado a povo venezuelano”, escreveu Julio Borges.

A passagem de Nicolás Maduro por Istambul deu-se depois de uma viagem à China, onde o Presidente da Venezuela se encontrou com o seu homólogo chinês, Xi Jinping. No regresso a Caracas, numa emissão televisiva onde anunciava os frutos dessa viagem, Nicolás Maduro acabou por justificar a sua passagem por aquele restaurante de luxo, dizendo que aceitou “um convite”.

“Fizemos uma paragem técnica em Istambul, depois de quase 12 horas de voo, e em Istambul aceitei um convite para visitar o centro histórico e almoçar com algumas autoridades da cidade”, disse Nicolás Maduro. “Estivemos juntos num restaurante famoso, Nusr-Et [Steakhouse]. Envio aqui um cumprimento a Nusret, que nos recebeu pessoalmente. Estivemos a falar e a divertir-nos com ele. É um homem muito simpático, muito alegre. Ama a Venezuela. Disse-mo várias vezes: ‘Amo a Venezuela, admiro a Venezuela’.”

A notícia da visita de Nicolás Maduro a Istambul surge numa altura em que a Venezuela atravessa uma grave crise que, além de financeira e económica, é também já alimentar. De acordo com um estudo Encuesta Nacional de Condiciones de Vida (ENCOVI), 89,4% dos lares não tinham dinheiro para comprar toda a comida necessária e cada venezuelano adulto perdeu em média 11,2 quilos em 2017. Na Venezuela, muitos chamam a este fenómeno a “dieta de Maduro”.

De acordo com o mesmo estudo, apenas 39,9% das famílias conseguiam comprar carnes vermelhas em 2017, ao passo que em 2014 essa percentagem ainda era de 74,8%. Os números são ainda mais drásticos no que toca às carnes brancas: em 2014 79,4% dos venezuelanos conseguiam comprá-las e em 2017 apenas 34,3% conseguiam fazê-lo.

Um caso recente, que chamou a atenção na Venezuela, foi o da unidade de nefrologia pediátrica do Hospital J. M. de los Ríos, em Caracas. De acordo com o jornal online Efecto Cocuyo, desde este sábado, 15 de setembro, que as crianças ali internadas comem apenas uma arepa (uma espécie de panqueca típica na Venezuela) ao pequeno-almoço e arroz branco ao almoço e ao jantar.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: jadias@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)