Passadeira Vermelha

Uma camisola da Nike e o número de telefone do Senado. As mensagens políticas na red carpet dos Emmy Awards

Nem só de vestidos elegantes se fez a passadeira vermelha dos Emmy Awards, na última segunda-feira. Também houve protestos políticos e manifestações de solidariedade, a começar por Jenifer Lewis.

A atriz Jenifer Lewis vestiu uma camisola da Nike em solidariedade para com o protesto do ex-jogador da NFL Colin Kaepernick

Como em qualquer passadeira vermelha de uma entrega de prémios, também os Emmy Awards tiveram os seus momentos de contestação. A começar por Jenifer Lewis, do elenco da série Black-ish. Assim que chegou à entrada do Microsof Theatre, em Los Angeles, a atriz fez-se notar pela flagrante subversão do dress code. Lewis, de 61 anos, apresentou-se de ténis, leggings pretas e com uma camisola da Nike. O gesto foi uma demonstração de solidariedade para com Colin Kaepernick, atualmente rosto de uma campanha da marca de vestuário desportivo. O antigo jogador da NFL (National Football League) iniciou um movimento de protesto contra a violência policial sobre cidadãos afro-americanos, ajoelhando-se durante o hino nacional que antecede os jogos da Liga.

“Estou a vestir Nike para aplaudir todos os que apoiam Colin Kaepernick e o seu protesto contra a injustiça racial e contra a violência policial. Vou usar Nike para dizer obrigado. Obrigado por liderares a resistência! Precisamos que uma América mais unida se levante”, afirmou a atriz à Variety, na noite da entrega de prémios.

Jenifer Lewis vestiu Nike na passadeira vermelha dos Emmy Awards, esta segunda-feira, em Los Angeles © Getty Images

Mas os protestos não ficaram por aqui. Sarah Sophie Flicker, mulher de Jesse Peretz, realizador da série Glow, pisou a passadeira vermelha com um número de telefone escrito no próprio braço. Juntamente com o número, lia-se “Stop Kavanaugh” (Parem o Kavanaugh). O ato foi uma resposta à nomeação de Brett Kavanaugh para o Supremo Tribunal. Kavanaugh está a ser acusado de assédio sexual por Christine B. Ford. O alegado episódio terá acontecido quando os dois eram colegas de liceu. O número de telefone no braço de Flicker é do senado, local onde a nomeação de Kavanaugh vai ser votada na próxima semana.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Demografia

Envelhecimento e crescimento económico /premium

Manuel Villaverde Cabral

Nada é mais importante para países como Portugal do que o imparável envelhecimento da população e as suas consequências a todos os níveis da sociedade, da saúde ao potencial de crescimento económico.

Crónica

Amorfo da mãe /premium

José Diogo Quintela

O Governo deve também permitir que, no dia seguinte ao trauma que é abandonar a criança no cárcere escolar, o progenitor vá trabalhar acompanhado pelo seu próprio progenitor. Caso precise de colinho.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)