Cristiano Ronaldo

A noite atribulada de Cristiano Ronaldo em Valência

112

Cerca de 20 homens encapuçados causaram distúrbios no hotel em Valência onde está instalada a Juventus de Ronaldo. Ouviram-se insultos e houve artefactos pirotécnicos. A polícia foi chamada ao local.

A Juventus de Cristiano Ronaldo está em Valência onde, esta quarta-feira, dá o pontapé de saída na fase de grupos da 'Champions' no Mestalla.

AFP/Getty Images

A véspera do encontro desta quarta-feira entre a Juventus e o Valência, a contar para a primeira jornada da fase de grupos da Liga dos Campeões, ficou marcada por incidentes nas imediações do hotel onde está instalada a equipa dos portugueses Cristiano Ronaldo e João Cancelo.

Segundo avança o jornal valenciano Las Províncias, cerca de 20 homens encapuçados juntaram-se, por volta da meia-noite, no exterior do hotel Westin, fazendo barulho, perturbando o descanso dos atletas. Ouviram-se vários insultos e foram ainda lançados artefactos pirotécnicos. O jornal diz que foi exibida uma tarja com a mensagem “Juve m****”.

A publicação refere que várias patrulhas da polícia foram chamadas ao local e acabaram por dispersar os atacantes, montando um dispositivo de vigilância que esteve em vigor até às 7 horas da manhã. As câmaras de segurança do hotel terão captado os desacatos, estando já as gravações na posse das autoridades, para serem identificados os indivíduos encapuçados.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mbeu@observador.pt
Justiça

Caça às bruxas /premium

P. Gonçalo Portocarrero de Almada
407

A presunção de inocência transformou-se numa presunção de culpa: já não é o crime que tem de ser demonstrado, mas o arguido que tem de provar a sua inocência.

Cristiano Ronaldo

A violação sem violador /premium

Rui Ramos
189

Se em relação aos crimes sexuais, criarmos um regime em que a emoção da vítima dispensa o apuramento judicial dos factos, estaremos apenas a destruir o consenso sobre a condenação desses crimes. 

Orçamento do Estado

Prognósticos só no fim /premium

Manuel Villaverde Cabral

Em vez de poupar nas despesas do Estado, aumentam-se as receitas, isto é, os impostos e, destes, sobretudo os indirectos. Eis o carácter cada vez mais inigualitário de uma fiscalidade dita de esquerda

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)