A Benfica SAD fechou a época de 2017/18 com lucros de 20,6 milhões de euros. Apesar de este ser o quinto ano consecutivo com lucros, o resultado alcançado representa uma queda de 53,7% face à época anterior. O resultado operacional também caiu para metade, para 32,4 milhões de euros.

Para este resultado contribuíram as transações dos direitos dos jogadores que atingiram 63,8 milhões de euros, menos que os 77 milhões de euros obtidos na época de 2016/2017, quando a SAD do clube liderado por Luís Filipe Vieira apresentou os seus melhores resultados de sempre. Para as receitas com venda de passes na última época, contribuíram de forma decisiva as transferências de Nélson Semedo, Mitroglou e João Carvalho.

O desempenho financeiro da SAD ficou também aquém nos rendimentos operacionais que caíram 6,7 milhões de euros, uma descida de 5% face à época anterior que é atribuída pelos resultados desportivos na Liga dos Campeões. Estes rendimentos atingiram 121,5 milhões de euros, com as receitas totais a superarem os 200 milhões de euros.

Em comunicado, a SAD encarnada destaca ainda a redução do passivo total e do passivo bancário. “O passivo da Benfica SAD diminuiu 40,1 milhões de euros no decorrer do exercício de 2017/2018, o que significa que no final do período atinge um valor de 398,3 milhões de euros. De realçar que a Sociedade volta a apresentar um passivo consolidado inferior a 400 milhões de euros, o que não se verificava desde o final do exercício de 2010/2011” •

Esta evolução é justificada pela redução de 110,4 milhões de euros nos empréstimos bancários, o que passou pelo reembolso antecipado do projet finance do estádio da Luz.