Rádio Observador

Eventos

“Cultura Portugal” em Espanha com Salvador Sobral, Rodrigo Leão e Rui Horta

Salvador Sobral, Rodrigo Leão e Rui Horta são alguns dos nomes que vão estar presentes na 16.ª edição da "Cultura Portugal", apresentada esta quarta-feira na Embaixada de Portugal em Madrid.

MARCIAL GUILLEN/EPA

Salvador Sobral, Rodrigo Leão e Rui Horta são alguns dos nomes que, até ao fim do ano, vão estar presentes na 16.ª edição da mostra “Cultura Portugal” em Espanha, esta quarta-feira apresentada na Embaixada de Portugal em Madrid.

Esta mostra tem “um impacto concreto e faz com que Portugal e os seus artistas sejam hoje mais conhecidos em Espanha do que há alguns anos atrás”, disse o embaixador Francisco Ribeiro de Menezes, na apresentação realizada esta quarta-feira.

A 16.ª Mostra da Cultura portuguesa em Espanha tem 60 eventos em todo o país, com 28 atividades a terem lugar na capital, Madrid. Na área da música, o vencedor do Festival Eurovisão de 2017, Salvador Sobral, vai dar um concerto no Teatro Nuevo Apolo de Madrid, já na próxima semana, a 24 de setembro, acompanhado pelo trio Júlio Resende, André Rosinha e Bruno Pedroso.

Sobral regressa à capital espanhola a 04 de novembro, acompanhado por Júlio Resende, para fechar o Festival de Poesia de Madrid com uma atuação do grupo Alexander Search, de que faz parte, inspirado no heterónimo de Fernando Pessoa.

Poucos dias depois, a 13 de novembro, Rodrigo Leão celebra os seus 25 anos como músico com o concerto “O Aniversário”, no Teatro Nuevo Apolo. O conhecido Coro Gulbenkian, dirigido por Pedro Teixeira, também faz parte da programação musical da “Cultura Portugal”, com um recital em Madrid, a 05 de dezembro.

A área da dança vai ter uma série de apresentações de Rui Horta, no centro cultural Matadero, na capital espanhola, a partir desta sexta-feira, 21 de setembro.

O coreógrafo e bailarino português começa com a exibição da sua última produção, “Quorum”, realizada a partir da escolha, através de uma “convocatória pública”, de 41 pessoas, que irão criar “uma experiência criativa coletiva”, seguindo-se as criações “Lumen” e “Vespa”.

Portugal será ainda o país convidado da 63.ª edição da Semana Internacional de Cinema de Valladolid, a partir de 20 de outubro, tendo aí uma oportunidade única para apresentar os títulos mais importantes realizados nos últimos anos pelos cineastas portugueses.

Faz ainda parte da mostra cultural portuguesa a exposição “Dentro de mim”, de Helena Almeida, patente na galeria madrilena Helga de Alvear, a partir de 20 de setembro, quinta-feira, onde ficará até 24 de novembro, e “Sou o teu espelho”, da artista plástica Joana Vasconcelos, inaugurada no Museu Guggenheim de Bilbau, em 29 de junho, que irá encerrar em 11 de novembro.

A dupla Musa Paradisíaca, constituída por Eduardo Guerra e Miguel Ferrão, levará a instalação “Casa Animal”, ao Centro Cultural Conde Duque, em Madrid, de 29 de outubro a 22 de dezembro. No âmbito da mostra decorre igualmente o Festival Portugal Alive, que abre sexta-feira.

Músicos como Best Youth, Bruno Pernadas, Surma, Real Combo Lisbonense, Throes & The Shine, Mísia e Kátia Guerreiro, a soprano Ana Quintans, o Quarteto Quiroga, a escritora Dulce Maria Cardoso, o realizador João Salaviza são outros nomes da programação global da mostra, que mobiliza igualmente artistas como o contratenor espanhol Carlos Mena, o ator e realizador de origem mexicana Carlos García-Bernal e o regente e cravista francês Pierre Hantaï.

O responsável pelo sector cultural da embaixada portuguesa na capital espanhola, Pedro Behran da Costa, explicou que, ao longo dos últimos anos, tem tentado que a mostra “Cultura Portugal” seja uma “mistura entre autores já conhecidos e outros menos conhecidos”.

A programação completa da mostra pode ser consultada em www.culturaportugal.com.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)