Paula Rego

Exposição de Paula Rego prolongada até 25 de novembro devido a elevada afluência

290

A exposição da Paula Rego "Contos Tradicionais e Contos de Fadas", patente na Casa das Histórias, em Cascais, foi prolongada até dia 25 de novembro, devido à elevada afluência de visitantes.

TIAGO PETINGA/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

exposição da Paula Rego “Contos Tradicionais e Contos de Fadas”, patente na Casa das Histórias, em Cascais, foi prolongada até dia 25 de novembro, devido à elevada afluência de visitantes, foi anunciado esta quarta-feira.

Em comunicado, a Câmara Municipal de Cascais anunciou o prolongamento da mostra, inaugurada no dia 8 de maio e prevista terminar no dia 20 de setembro, até dia 25 de novembro, devido ao elevado número de visitantes, nacionais e internacionais, que já somam 15 mil.

Esta decisão coincide com a comemoração dos nove anos deste museu, “um dos mais emblemáticos do país e dos edifícios mais destacados da obra do arquiteto Eduardo Souto de Moura”, inaugurado no dia 18 de setembro de 2009, sublinha a autarquia.

Para assinalar a efeméride, no próximo sábado, dia 22 de setembro, a Casa das Histórias Paula Rego estará “Em Festa”, com “A Teoria dos Contrários”. Trata-se de um espetáculo de dança, de entrada gratuita, mas sujeito a inscrição, organizado pelo Serviço Cultural e Educativo da Fundação D. Luís I, alusivo às personagens em que Paula Rego se inspirou para criar os trabalhos de “Contos tradicionais e contos de fadas”. Durante a atuação, os bailarinos caracterizam-se, à medida que o espetáculo vai percorrendo as oito salas da mostra.

Os contos tradicionais e os contos de fadas inspiram a pintora Paula Rego desde 1974, ano em que começou a sua pesquisa sobre o universo literário dos contos populares portugueses. Ganhou uma Bolsa da Fundação Calouste Gulbenkian e, desde então, nunca mais deixou de ilustrar histórias violentas e cruéis, reencontrando memórias de infância e o medo.

Trata-se de histórias que Paula Rego passou para a tela e para o papel, explorando as temáticas do encantamento, do amor, da sedução ou do terror, mas nas quais a artista introduz a voz das mulheres, dominante desde o início dos contos de fadas, desconstruindo modelos da sociedade. Através desta mostra, Paula Rego apresenta-nos a sua versão dos contos de autores como os Irmãos Grimm ou Hans Christian Andersen.

O presidente da Câmara Municipal de Cascais, Carlos Carreiras, destaca que esta exposição reforça os acordos estabelecidos entre a autarquia e a Fundação D. Luis I com Paula Rego e família, para que as obras da artista se apresentem ao público através deste museu.

As obras expostas provêm de museus nacionais e internacionais, coleções de Paula Rego, família da artista e de particulares.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)