Apesar de estar consciente das dificuldades que a equipa vai ter frente a um adversário que os setubalenses não vencem no seu reduto há mais de 35 anos [3-1 em 1982/83], Lito Vidigal disse esta quinta-feira em conferência de imprensa que o jejum pode ser quebrado. O treinador do Vitória de Setúbal, acredita que a sua equipa pode no sábado surpreender o FC Porto no Estádio do Bonfim, em partida da quinta jornada da I Liga de futebol.

“Depois do que a minha equipa fez no último jogo, em que fez uma recuperação fantástica, depois de estar a perder 3-0 e chegou ao 3-3 [diante do Nacional na Taça da Liga], tudo é possível. O mais importante é os jogadores acreditarem, serem solidários e, acima de tudo, jogarem como equipa. Também é importante saber sofrer. Temos possibilidade de ganhar e vamos trabalhar nesse sentido”, garantiu.

O técnico do Vitória de Setúbal considera que o atual campeão nacional está mais pressionado a vencer, aspeto que poderá ser positivo para os seus jogadores. “Vai ser um jogo difícil e duro. Os meus jogadores têm a responsabilidade de competir para poder ganhar, mas a responsabilidade maior é do FC Porto e isso retira alguma pressão aos jogadores. O facto de não ganharmos ao adversário há 35 anos é aliciante porque se trata de um desafio para os jogadores. Penso sempre que temos possibilidades de vencer”, afirmou.

Para terem sucesso frente a um adversário que está “mais consolidado”, Lito Vidigal frisa a importância de a sua equipa ser objetiva e eficaz nas oportunidades que criar. “O FC Porto está forte e mais consolidado. O Sérgio (Conceição) já tem mais tempo de trabalho. Têm jogadores fortíssimos no um contra um e nas transições. É uma equipa que é cada vez mais forte a jogar em posse. Por isso, vamos ter dificuldades, mas também possibilidades de vencer. Sempre que tivermos possibilidade de sair para o ataque, se formos objetivos, também temos as nossas hipóteses de concretizar”, referiu.

Questionado sobre as fragilidades do FC Porto, o treinador dos vitorianos optou por não responder, preferindo falar da importância do trabalho coletivo da sua equipa. “Só conseguimos ter um resultado positivo se formos extremamente coletivos. Individualmente temos poucas possibilidades. Quem resolve jogos dessa forma são os jogadores do FC Porto e dos clubes ‘grandes’ com mais poderio que nós. Temos que contrariar essa qualidade individual com solidariedade e coletivo”, vincou.

Lito Vidigal não escondeu o desejo de ver a sua equipa fazer história em confrontos com o FC Porto. “Se formos extremamente inteligentes na abordagem tática, temos possibilidades de vencer. Com um pouco de sorte, talvez seja neste jogo que podemos quebrar o enguiço de 35 anos”, disse.

O defesa Nuno Pinto (castigado) e os médios Mikel Agu (impedido de atuar por estar cedido pelos ‘dragões’) e André Pedrosa (recupera de traumatismo no joelho direito) estão impedidos de jogar.

O Vitória de Setúbal, 11.º classificado, com quatro pontos, e FC Porto, quarto classificado, com nove pontos, jogam no sábado, pelas 21h00 horas, no Estádio do Bonfim, em Setúbal.