O Ministério da Defesa prevê 500 admissões para os quadros permanentes das Forças Armadas e mais duas mil em regime de contrato e voluntariado, disse esta sexta-feira à Lusa fonte oficial. Os despachos que autorizam o efetivo máximo em cada ramo e categorias já se encontram assinados e foram enviados para publicação no Diário da República, segundo o Ministério da Defesa.

Numa audição sobre a política para o setor da Defesa, na semana passada, o secretário de Estado da Defesa Nacional, Marcos Perestrello, tinha afirmado que os despachos seriam publicados em breve e que o número de entradas deveria coincidir com o número estimado de saídas de efetivos em 2018. De acordo com números relativos a 2016, o efetivo das Forças Armadas atingia cerca de 28 mil militares.

Para além das novas admissões, o Ministério da Defesa quer reter os militares nas fileiras, tendo aprovado recentemente alterações ao regime de incentivos à carreira militar e à duração dos contratos, com possibilidade de irem até aos 18 anos.