Serralves

Bloco de Esquerda quer ouvir no parlamento diretor demissionário de Serralves 

202

Bloco chamou diretor demissionário do Museu de Serralves ao parlamento. "O conservadorismo não é critério de avaliação artística", diz o BE uma carta enviada à Comissão Parlamentar da Cultura.

O Bloco fez o pedido numa carta enviada à presidente da comissão parlamentar de Cultura, Comunicação, Juventude e Desporto

ANTÓNIO COTRIM/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

O Bloco de Esquerda pediu a audição, no parlamento, do diretor demissionário do Museu de Serralves, João Ribas, após administração ter alegadamente limitado a maiores de 18 anos uma parte da exposição do fotógrafo Robert Mapplethorpe.

“A decisão de alterar a organização da exposição, retirando algumas obras, e, noutros casos, juntando numa mesma sala obras classificadas por critérios desconhecidos como para maiores de 18 anos, é inédita em Serralves e suscita a maior perplexidade”, lê-se numa carta enviada pelo Bloco à presidente da comissão parlamentar de Cultura, Comunicação, Juventude e Desporto.

Para os bloquistas, “o conservadorismo não é critério de avaliação artística”, nem “pode substituir-se à curadoria de uma exposição” e “um conselho de administração não é um órgão de censura da direção do museu que tutela.

“O caso é tão mais grave quanto se trata de uma fundação com participação e financiamento do Estado português e um dos mais importantes museus do país”, acrescenta ainda o BE.

O jornal Público escreve hoje que a demissão de Ribas surge depois de a administração ter limitado a maiores de 18 anos uma parte da exposição dedicada ao fotógrafo norte-americano Robert Mapplethorpe, comissariada por Ribas, e ter imposto a retirada de algumas obras com conteúdo sexualmente explícito.

O próprio diretor artístico tinha dito anteriormente que nesta retrospetiva não haveria “censura, obras tapadas, salas especiais ou qualquer tipo de restrição a visitantes de acordo com a faixa etária”, recorda o Público.

A exposição, com fotografias de nus, flores, retratos de artistas como Patti Smith ou Iggy Pop e imagens de cariz sexual foi inaugurada na quinta-feira em Serralves, no Porto.

A ser aprovada, a audição realiza-se na comissão parlamentar de Cultura, Comunicação, Juventude e Desporto.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Livros

Livros para o Natal (I) /premium

João Carlos Espada

Seis sugestões de livros que são também leituras que desafiam os dogmas politicamente correctos hoje dominantes entre nós.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)