A campanha pela eleição presidencial da Indonésia começou oficialmente com os dois candidatos a apelarem ao pacifismo, uma vez que a corrida poderá agudizar a divisões étnicas e religiosas no país.

Vestidos com roupas tradicionais, ambos os candidatos desfilaram pelo centro de Jacarta e libertaram pombas brancas durante a cerimónia, depois de lerem uma declaração que apelava ao pacifismo.

A eleição presidencial coloca o Presidente Joko “Jokowi” Widodo contra o ex-general Prabowo Subianto, que perdeu para Jokowi em 2014.

Jokowi, o primeiro presidente indonésio de fora da elite do país apresentou a recandidatura às eleições presidenciais , juntamente com aquele que será o seu parceiro de campanha e candidato a vice-presidente, Maruf Amin.

A escolha do líder religioso foi interpretada, por muitos, como uma tentativa de expandir os seus votos entre os muçulmanos, que representam 88% dos 260 milhões de habitantes do arquipélago.

O clérigo é um assumido opositor do secularismo, liberalismo, homossexualidade e religiões minoritárias.

Jokowi parte à frente nas sondagens depois de a opinião pública ter considerado que o Presidente fez um bom trabalho na organização dos Jogos Asiáticos, que decorreram no país entre 18 de agosto e 2 de setembro.