Nova Zelândia

Crise dos morangos com agulhas alastra-se à Nova Zelândia

Depois da Austrália, fruta com agulhas chega à Nova Zelândia. Já foi reportado o primeiro caso de contaminação e os supermercados Countdown mandaram retirar das prateleiras morangos da marca Choice.

AFP/Getty Images

O primeiro caso de morangos com alfinetes chegou à Nova Zelândia. Depois de o fenómeno, que já foi apelidado de terrorismo comercial, ter espalhado o caos na Austrália, com mais de 100 casos de fruta contaminada, o problema saltou a fronteira marítima e chegou à Nova Zelândia.

Para já, este é o único caso conhecido no país e as autoridades anunciaram que não houve quaisquer relatos de ferimentos. A cadeia de supermercados Countdown, onde foi comprada a embalagem de fruta contaminada, anunciou que irá retirar das suas prateleiras todos os morangos Choice, marca australiana onde foi encontrado o alfinete, como “medida preventiva”.

O primeiro conselho que está a ser dado aos consumidores, à semelhança do que já tinha sido feito na Austrália, é que nenhum morango seja ingerido sem ser cortado antes. A cadeia Countdown avisou ainda os seus clientes que, caso tenham morangos da marca Choice em casa, podem devolvê-los e receber o seu dinheiro de volta, de forma a terem “paz de espírito”.

Na Austrália, o caso que começou com morangos, no início de setembro, já se propagou a outros tipos de fruta havendo relatos de alfinetes e agulhas encontrados em bananas, maçãs e mangas.

Na Austrália, as autoridades continuam sem saber se se trata de sabotagem levada a cabo por uma única pessoa ou se se trata de um ataque concertado. E acreditam que muitos dos casos relatados até agora sejam apenas imitações dos casos iniciais.

Seja o que for, já foi considerado um ato de terrorismo comercial e a indústria de produtores de morangos corre sérios riscos financeiros. Para tentar evitar cenários de falência, o Governo disponibilizou um fundo de 1 milhão de dólares australianos (616.211 euros) para ajudar os produtores, enquanto que em Queensland, onde tudo começou, o governo daquele estado australiano ofereceu uma recompensa de 100 mil dólares australianos (61.621 euros) a quem fornecer pistas que levem à detenção e condenação do responsável pela contaminação dos morangos.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: akotowicz@observador.pt
Educação

Mais vale acabar

João Pires da Cruz

Damos atenção aos direitos de todos menos aos daqueles que são mais preciosos, os nossos filhos. Gastamos dinheiro em tudo, menos no que é impossível substituir, o tempo das nossas crianças aprenderem

Política Externa

O Imperador vai nu /premium

Diana Soller

A situação geográfica de Portugal coloca-o numa posição estratégica privilegiada para os interesses das grandes potências. Pelo que o Estado terá que tomar decisões muito sérias quanto ao nosso futuro

Educação

Mais vale acabar

João Pires da Cruz

Damos atenção aos direitos de todos menos aos daqueles que são mais preciosos, os nossos filhos. Gastamos dinheiro em tudo, menos no que é impossível substituir, o tempo das nossas crianças aprenderem

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)