A bolsa em Lisboa segue em baixa esta segunda-feira, alinhada com a tendência das principais congéneres europeias, com as ações da Jerónimo Martins a pressionarem as negociações e as da Galp a evitarem uma maior queda do índice.

Pelas 09h00 (hora de Lisboa), o índice português de referência, o PSI20, seguia a recuar 0,26% para 5.332,20 pontos, com 10 ações negativas, três inalteradas (Altri, Ramada Investimentos e REN) e cinco positivas.

A Corticeira Amorim e a Jerónimo Martins eram as empresas que mais desciam 1,89% e 1,44% para 11,42 e 12,69 euros. O BCP seguia também em terreno negativo, desvalorizando-se 0,40% para 0,25 euros.

A Galp Energia, por sua vez, era a cotada que mais avançava, com um ganho de 1,37% para 16,65 euros, seguida da Ibersol que subia 1,08% para 9,32 eureos. As ações da EDP valorizavam-se 0,12% para 3,228 euros.

Lisboa seguia numa Europa em ligeira baixa, no dia em que entram em vigor as tarifas alfandegárias aplicadas pelos EUA e pela China no âmbito da guerra comercial.

Os Estados Unidos vão passar a taxar bens chineses, enquanto a China vai subir as tarifas sobre bens importados dos EUA.

Os investidores estarão atentos ao presidente do Banco Central Europeu, Mario Draghi, que irá discursar no Parlamento Europeu, em Bruxelas sobre a política monetária na região.

Na Alemanha, a chanceler Angela Merkel responde a perguntas sobre o futuro da Europa, numa audiência municipal em Hanover e em França o Governo apresenta o orçamento para 2019.

Já o presidente francês Emmanuel Macron reúne-se com o seu homólogo norte-americano, Donald Trump, em Washington.

O euro seguia em baixa, a negociar nos 1,1732 dólares, enquanto o preço do petróleo Brent – de referência na Europa — subia até aos 80,13 dólares na abertura.