O mercado imobiliário português tem apresentando resultados otimistas. Segundo os dados mais recentes do INE, confirma-se que nos últimos dezanove trimestres o índice de preços de habitação atingiu os valores mais elevados dos últimos anos pois as casas usadas têm tido cada vez mais procura, relativamente às casas novas.

Os dados do estudo do INE publicados na passada semana revelaram que no segundo trimestre deste ano, o índice do preço das casas usadas teve um aumento 12,6%, relativamente ao mesmo período no ano anterior, ultrapassando o valor da média nacional (11,2%). No caso dos imóveis novos, durante o trimestre em causa, sofreram um aumento na ordem dos 6,3%.

Embora os dados do INE confirmem que desde 2013 tanto os preços das casas usadas, como das novas, tenham vindo paulatinamente a aumentar, são as casas usadas que têm uma maior procura no mercado imobiliário. Quanto às casas usadas, verifica-se que os valores de venda tenham subido 46,5% relativamente aos valores mais baixos atingidos, e quanto às casas novas o aumento foi na ordem dos 24,1%.

Segundo o jornal Negócios, Luís Lima, presidente Associação de Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária de Portugal (APEMIP), afirma que “É nos centros das cidades que se concentra o grosso da procura. As pessoas preferem viver no centro das cidades, e preferem viver numa casa usada, mas perto de todas as infra-estruturas, do que viver mais longe numa casa nova. É uma evolução que se prende com os desejos da procura existente”, reforçando que “construção nova e alojamentos novos nas zonas onde há maior procura. Estes estão, regra geral, nas periferias, onde os preços tendem a ser mais baixos do que nos centros urbanos”.

Como tal, dos 45 619 imóveis vendidos, verificou-se que, no segundo trimestre deste ano, 85% eram casas usadas, justificando assim que entre os meses de Abril e Junho os valores das transações monetárias tenham atingido cerca de 5 mil milhões de euros.

Globalmente, o índice de preço das casas tem vindo a aumentar tendo sido vendidos cerca de 86 335 mil imóveis. Esta tem sido uma época próspera para o mercado imobiliários, pois nunca antes tinha havido registo de um número tão elevado de vendas neste setor, em Portugal.