A Câmara de Estarreja está a investigar as razões que levaram com que a tinta resultante da lavagem dos instrumentos associados ao ESTAU – Festival de Arte Urbana tenha desaguado no rio Antuã, informou esta quarta-feira a autarquia.

Numa nota publicada no sítio da Câmara de Estarreja na internet, o presidente do município, Diamantino Sabina, faz saber que “o processo usado este ano foi o mesmo das edições anteriores”, ou seja, “o uso de saneamento para posterior tratamento das águas”. “Por razões que ainda desconhecemos, a água foi para o rio e não para o saneamento. Estamos a investigar o que terá acontecido”, realça o autarca.

Apesar da baixa toxicidade das tintas, por serem de base aquosa, o município não desvaloriza o incidente, estando a monitorizar o potencial impacto ambiental, quer na flora e na fauna.

“Não há vestígios que se tenha prejudicado o ecossistema envolvente”, adianta Diamantino Sabina, acrescentando que nos próximos dias o município continuará atento a esta situação.

O ESTAU é uma iniciativa da Câmara Municipal de Estarreja, coorganizada pela Mistaker Maker — Associação de Intervenção Criativa, com curadoria de Lara Seixo Rodrigues.

O italiano Millo, a espanhola Marina Capdevila e os portugueses Add Fuel e Tiago Galo foram alguns dos artistas convidados para pintar murais na 3.ª edição deste festival, que decorreu entre o dia 15 e domingo.