Na mudança para a Juventus, Cristiano Ronaldo começou por ser notícia pela demora em estrear-se a marcar em jogos oficiais e depois pelos golos que apontou — e que têm sido decisivos, como aconteceu na última jornada da Série A frente ao Frosinone. Se há jogador no mundo que é imprevisível é CR7 mas, mesmo assim, a inteligência artificial atreveu-se a tentar prever o percurso do internacional português na vecchia signora.

Os resultados não são animadores. A empresa tecnológica Olocip previu que Ronaldo não vai ter em Turim os mesmos números que alcançou em Madrid. O estudo foi apresentado na terceira edição do congresso de futebol World Football Summit e baseou-se na ferramenta de inteligência artificial TCT-Scout, que juntou três grupos de variáveis para prever o rendimento do craque português em Itália: ofensivo, defensivo e construção de jogo.

A ciência explica como Ronaldo marca aqueles livres

O modelo utiliza ferramentas que têm em linha de conta o rendimento passado do jogador, as possíveis relações entre o jogador e o seu novo ambiente, considerando a competição, o estilo de jogo, os novos companheiros de equipa e a idade, entre outros fatores.

Mario Garrido, Chief Communication Officer da empresa, referiu que, enquanto Ronaldo tinha uma média de um golo por jogo no Real Madrid, na Juventus esse valor deverá passar para 0,8 remates certeiros. Ainda assim, o mesmo estudo prevê que o rendimento da formação italiana vá subir com a presença do português.

A saída do jogador para Turim vai ter, também, impacto do Real Madrid. O mesmo trabalho adianta que Karim Benzema vai sair a ganhar. “Sem Ronaldo, os dados de Benzema diminuem em assistências, mas no capítulo ofensivo aumentam, assumindo assim um papel de maior protagonismo”, conclui Mario Garrido.