Os meteorologistas alertaram hoje para a probabilidade de um ciclone tropical no Sul da Grécia, numa altura em que fortes rajadas de vento continuam a soprar no território, levando as autoridades a fechar escolas e portos. Os serviços meteorológicos lançaram hoje o alerta laranja para zonas que envolvem Atenas, as ilhas do Mar Egeu e o centro e este do Peloponeso.

Citados pela AFP, aqueles serviços avisaram que a situação será provavelmente pior na sexta-feira e alargada à totalidade do país, “especialmente no Norte, onde a temperatura vai descer 10 graus Celsius”. Com a aproximação do ciclone, há já ordens no país para encerrar vários serviços, como escolas e portos.

O Observatório de Atenas, citado pela agência francesa, alerta para a possibilidade da formação de um “fenómeno raro na Grécia, um ciclone mediterrânico “medicane” (junção das palavras ‘mediterranean’ e ‘hurricane’, furacão em inglês), que começará no Mar Jónico até ao sudeste do continente grego.

Devido às rajadas de vento, que sopram a 85 km/hora, as ligações marítimas entre as ilhas do Mar Egeu e o continente grego permanecem cortadas pelo segundo dia consecutivo.

De acordo com o Observatório Nacional de Atenas é esperado que a tempestade se dirija em direção a Este, trazendo muita chuva e ventos fortes para a zona do Poloponeso e Creta, até sábado, e depois irá em direção à região da Atica, Evia e arquipélago de Cíclades, onde chegará domingo.

As escolas mantêm-se fechadas nas ilhas Zakynthos, Mykonos, Tinos e Andros, situadas no Mar Eugeu, e na municipalidade Saronic, perto de Atenas, comunicou a polícia portuária à AFP. Nos subúrbios do norte de Atenas, várias árvores caíram sobre cabos elétricos.

Os bombeiros receberam mais de 350 chamadas para remover destroços e impedir que provoquem danos adicionais, afirmou um responsável à AFP. Na quarta-feira, os trabalhos em curso para retirar migrantes do campo de refugiados na ilha de Lesbos foram suspensos por causa dos ventos fortes e das condições climáticas não propícias.