Rádio Observador

Parlamento

Parlamento saúda coragem e profissionalismo dos militares portugueses na RCA

545

O Parlamento aprovou esta sexta-feira um voto apresentado por PS, PSD e CDS-PP de congratulação pela coragem e profissionalismo dos militares portugueses em missão na República Centro-Africana (RCA).

JOSÉ COELHO/LUSA

A Assembleia da República aprovou esta sexta-feira um voto apresentado por PS, PSD e CDS-PP de congratulação pela coragem e profissionalismo dos militares portugueses em missão na República Centro-Africana (RCA).

A Assembleia da República congratula-se “pela forma corajosa, abnegada, equilibrada e altamente profissional como os militares portugueses têm cumprido as suas missões, contribuindo para assegurar a paz e estabilidade na RCA, dignificando Portugal e as Forças Armadas Portuguesas”, é referido no voto. PCP e BE votaram contra, enquanto o PEV absteve-se.

No texto aprovado, o parlamento português sublinha que “apesar da extraordinária delicadeza das missões” e do “ambiente difícil e por vezes hostil”, os cerca de 200 militares portugueses na RCA “têm sido alvo dos mais rasgados elogios”, quer de organizações internacionais, quer das autoridades políticas e populações locais.

Os deputados assinalam ainda que as missões, no âmbito da ONU e da União Europeia, são desempenhadas num contexto de “ausência dos princípios fundamentais de um Estado de Direito, com uma deterioração significativa da segurança pública” na RCA, um dos países mais pobres do mundo.

A RCA, tornou-se independente da França em 1960, mas a situação política e económica “nunca atingiu o equilíbrio, antes se deteriorando progressivamente de forma dramática, pelo aparecimento e crescimento de grupos rivais, com diferentes crenças religiosas, que se foram digladiando mutuamente”, lê-se ainda no voto.

Em 2017, Portugal destacou para a RCA uma Unidade de Infantaria, que assumiu a missão de Quick Reaction Force (QRF) da MINUSCA (missão das Nações Unidas) que visa garantir a estabilidade do país, pôr fim à violência e a segurança das populações. Este ano, um oficial-general português assumiu o comando da EUTM (União Europeia) RCA, o que coincidiu com o reforço da presença nacional naquela missão.

O voto aprovado esta sexta-feira foi apresentado por deputados do PSD, CDS-PP e PS, na sequência de uma visita realizada pela comissão parlamentar de Defesa Nacional, em julho, às Forças Nacionais Destacadas na RCA.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Política

Portugal: um país anestesiado

José Pinto

A um país anestesiado basta acenar com o Simplex, versão revisitada. Ninguém vai questionar. A anestesia é de efeito prolongado. O problema é se o país entra em coma.

Política

Bem-vindo Donald Trump, António Costa merece!

Gabriel Mithá Ribeiro

A direita em Portugal, e o PSD muito em particular, nunca foram capazes de afirmar um discurso sociológico autónomo. CDS-PP e PSD insistem em nem sequer o tentar, mesmo quando se aproximam eleições.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)