“Heavy Metal Portugal”, o primeiro documentário sobre a história do heavy metal português, vai ser apresentado a 6 de outubro, no Auditório Centro Engenheiro Eurico de Melo, em Santo Tirso. Produzido por Sónia Mendes e João Mendes, o filme, com cerca de hora e meia de duração, inclui mais de uma centena de entrevistas feitas a músicos, produtores e divulgadores que, de alguma forma, contribuíram para o desenvolvimento do género musical e de todas as suas vertentes em Portugal desde as primeiras bandas de rock mais pesado, no final dos anos 70, até ao grande boom dos anos 90.

Com o contributo de membros de bandas como os Xeque-Mate, NZZN, Arte & Ofício, Ibéria, Tarântula, entre outras, “Heavy Metal Portugal” inclui também aquela que é possivelmente uma das últimas entrevistas do guitarrista Phil Mendrix, lenda do rock português que morreu no passado mês de agosto, aos 70 anos. Com mais de 50 anos de carreira, Mendrix atravessou vários períodos do rock nacional, integrando grupos como a mítica Heavy Band, Chinchilas, Roxigénio e, mais recentemente, Ena Pá 2000. No início do documentário, Mendrix conta como aprendeu a tocar guitarra de forma “completamente autodidata, excetuando o método que o meu avô me ensinou de posições”. “Fui aprendendo, vendo ouvindo. Ouvindo sobretudo”, explica.

A entrada na ante-estreia, marcada para as 16h do dia 6 de outubro, só pode ser feita mediante a apresentação de um convite. Ao Observador, contudo, João Mendes avançou que serão feitas duas apresentações, provavelmente em novembro, nas cidades de Lisboa e Porto. Depois de apresentação, haverá uma after party no Kraken Rock Pirate Club, também em Santo Tirso, com os concertos das bandas portuguesas Equaleft e Blame Zeus. A entrada custa três euros e as atuações começam às 21h.

Até lá, o documentário pode ser adquirido em pré-venda (que decorre até ao dia 26 de outubro) através do endereço de email heavymetalportugalodoc@gmail.com. Custa 15 euros (mais portes). A longa-metragem vai estar à venda nas apresentações de Lisboa e Porto.

Artigo atualizado com o novo local de apresentação do documentário em Santo Tirso