Dos 583 comboios que deveriam ter circulado até às 18h de domingo em Portugal, 61 foram suprimidos, devido à greve dos trabalhadores de bilheteira e revisores convocada para segunda-feira, disse à Lusa fonte da CP. De acordo com fonte oficial da CP — Comboios de Portugal, entre as 00h e as 18h de hoje, dos 14 comboios alfa pendular previstos foram suprimidos dois e dos 32 intercidades não circularam oito.

A CP tinha anunciado, numa nota publicada no site da empresa, que, devido à greve de 24 horas convocada para segunda-feira, poderiam ocorrer hoje e na terça-feira supressões e perturbações. A empresa avisava que “não serão disponibilizados transportes alternativos” durante a paralisação, tendo sido definidos serviços mínimos.

Nos 180 comboios regionais que estava previsto terem circulado entre as 00h e as 18h de hoje, 36 foram suprimidos. Já no que diz respeito aos comboios urbanos de Lisboa, dos 238 previstos dois foram suprimidos e, no Porto, dos 119 previstos 13 foram suprimidos.

A CP tinha anunciado anteriormente que, “aos clientes que já tenham bilhetes adquiridos para viajar em comboios dos serviços alfa pendular, intercidades, regional e celta que não se realizem, permitirá o reembolso no valor total do bilhete adquirido, ou a sua revalidação, sem custos, para outro dia/comboio”.

Os trabalhadores das bilheteiras e revisores da CP vão estar em greve, por 24 horas, na segunda-feira, contra a ausência de contratação de trabalhadores, de mais comboios e negociação para o contrato coletivo.

A greve foi convocada pelo Sindicato Ferroviário da Revisão Comercial Itinerante (SFRCI) que criticou o Ministério das Finanças por “bloquear os acordos entre o Ministério do Planeamento, a CP e o SFRCI” e estarem, assim, por contratar “88 trabalhadores para o comercial da CP (Revisores, trabalhadores para as bilheteiras)”.