O presidente do PSD, Rui Rio, almoçou esta segunda-feira com estudantes universitários Porto, tendo ouvido queixas, sobretudo de falta de alojamento. Depois de durante a manhã ter apresentado o documento estratégico do PSD para o acesso ao ensino superior, o líder dos sociais-democratas almoçou na cantina da Escola Superior de Educação e ouviu as queixas dos estudantes, centradas na falta de alojamento e na ausência de manutenção das instalações de algumas faculdades do Politécnico do Porto.

Enquanto almoçavam, Rui Rio contou que os alunos criticaram o estado em que se encontram algumas instalações universitárias não tendo tido manutenção ou estando só agora a tê-la durante um “largo período”, não respondendo às necessidades dos estudantes. “Até fico admirado porque algumas [faculdades] foram reabilitadas há pouco tempo”, referiu. Contudo, o maior problema apresentado pelos alunos foi a falta de alojamento, salientou, acrescentando que quem é do Porto está na casa da família, mas quem é deslocado não tem capacidade de resposta para ter acesso a alojamento aceitável.

Os preços das habitações são muito elevados devido à procura turística e o apoio social que é dado é “escasso” dando para “cobrir a propina e pouco mais”, ressalvou. “Esta matéria tem de ser resolvida por ação de políticas públicas, centrais ou municipais, embora possam ser em parcerias com privados, mas o motor deve ser a política pública”, afirmou Rui Rio.

O presidente do PSD reiterou ainda em declarações aos jornalistas que “uma das matérias relevantíssimas de um programa de um partido é a educação”. “Se nós temos como principal objetivo ter uma economia mais competitiva temos de ter conhecimento e mão de obra qualificada. Se Portugal quiser ter uma economia mais desenvolvida temos de apostar na educação”, frisou.

Questionado sobre a existência de um “clima de tensão” no PSD, o social-democrata frisou que não fala de “coisas internas”. “Eu o clima de tensão no partido não é coisa que eu acompanhe assim tanto como a comunicação social”, frisou.

Depois da Escola Superior de Educação, Rui Rio seguiu para a Escola Secundária Filipa de Vilhena onde uma turma participa no workshop sub18, programa criado pela JSD há quase dez anos.