Na sexta-feira passada, aproximadamente mil pessoas que estavam prestes a participar num festival cultural, numa praia na ilha indonésia de Celebes, foram surpreendidas por um tsunami devastador, pois os sistemas de alerta para este tipo de eventos deixaram de funcionar e precisavam de ser arranjados há já alguns anos.

De acordo com os dados oficiais mais recentes, o terremoto de magnitude 7,5 que causou mais de 1200 mortos, levou ao surgimento de uma onda gigante e a um grande deslizamentos de terras que danificou gravemente a consistência do solo nas zonas afetadas.

Os vídeos impressionantes do momento em que o tsunami chegou

A agência local de meteorologia, climatologia e geofísica emitiu um alerta de tsunami após o terremoto, ao anoitecer, mas desativou-o 28 minutos depois porque não tinha dados credíveis sobre a situação. Entretanto, nas redes sociais surgiam milhares de vídeos gravados com telefones, do momento em que a massa de água chegou à costa a uma velocidade estonteante, ainda que a onda não fosse muito alta.

Sismo e tsunami na Indonésia. Como uma onda a 190 km/h matou mais de 800 pessoas

Depois do tsunami que em 2004 causou cerca de 280 mil mortes em várias nações do Oceano Índico, as autoridades indonésias colocaram 22 bóias com sensores de alerta de movimentos sísmicos nas suas costas. No aniversário da tragédia em 2008, o então presidente indonésio, Susilo Bambang Yudhoyono, supervisionou mesmo em Manado, uma simulação de alerta de tsunami na qual participaram 5.000 pessoas, como forma de prevenir e preparar as populações para futuros desastres desta envergadura.

O porta-voz da Agência Nacional de Gestão de Desastres, Sutopo Purwo Nugroho, disse no domingo, dois dias após o terremoto e tsunami em Celebes, que o sistema de alerta de tsunami não estava operacional há aproximadamente 6 anos, devido à falta de fundos e manutenção das infraestruturas.

O terremoto da passada sexta-feira foi causado por uma rutura horizontal da crosta terrestre, fazendo chão desmoronar forçando uma grande quantidade de lama a mover-se, arrastamdo edifícios e estruturas que não estavam preparados para resistir a sismos desta magnitude.

Indonésia. Imagens de drone mostram a destruição provocada pelo tsunami