Lisboa vai ter mais um serviço de trotinetes elétricas e desta vez é prestado por uma empresa portuguesa. A iomo anunciou que começa a operar em Lisboa para “ajudar os habitantes, com uma solução rápida e amiga do ambiente”. Não revelou, no entanto, a data concreta em que o serviço vai entrar em funcionamento. Divulga apenas que vai ser ainda em outubro.

O serviço funciona de forma semelhante aos projetos que têm surgido: através da app, que estará disponível em breve para sistema operativo Android e iOS, o utilizador vai encontrar um mapa da cidade, com todos os locais onde as scooters estão disponíveis. Os utilizadores podem ainda selecionar uma zona preferencial e reservar a trotinete logo a seguir. O serviço vai custar, em média, 15 cêntimos por minuto.

Estas trotinetes, que andam seis vezes mais rápido do que o passo de caminhada, são um last mile transportation, ou seja, são utilizadas para percorrer curtas distâncias, como ir de casa para a estação de metro ou de autocarro, ou do transporte público para o destino final. No final da sua utilização, e com base no sistema de free float, é possível deixar o veículo em qualquer local seguro, dentro de um perímetro pré-definido.

Para conduzir estas trotinetes, não é necessário licença de condução, mas os utilizadores precisam de ter mais de 18 anos. As primeiras scooters da iomo estão em circulação em duas zonas de Lisboa: no Parque das Nações e no Saldanha. Quem estiver interessado já pode testá-las. Numa fase inicial, a empresa vai começar com uma frota de 50 scooters, prevendo chegar aos 1000 veículos em mais quatro cidades portuguesas no próximo ano.

Na semana passada, recorde-se, a norte-americana Lime também anunciou que vai trazer entre 200 a 400 trotinetes elétricas para Lisboa, no âmbito da sua expansão europeia. Os veículos foram disponibilizados esta quinta-feira em 90 locais espalhados pela cidade.