Rádio Observador

Angola

Angola prepara reestruturação e modernização de 15 postos fronteiriços

O Presidente angolano ordenou a reestruturação e modernização de 15 postos fronteiriços angolanos, uma das várias medidas aprovadas pelo Executivo para a melhoria do controlo das exportações.

FELIPE TRUEBA/EPA

O Presidente angolano, João Lourenço, ordenou a reestruturação e modernização, de forma faseada, de 15 postos fronteiriços angolanos, uma das várias medidas aprovadas pelo Executivo para a melhoria do controlo das exportações.

De acordo com um decreto presidencial de 25 de setembro, a que a Lusa teve acesso, a primeira fase deverá abranger cinco postos: Luvo (província do Zaire), Kimbata (Uíge), Massabi (Cabinda), Luau (Moxico) e Chissanda (Lunda-Norte).

O documento considera ainda a “adoção de um sistema informático único para o comércio internacional” e a “melhoria na fiscalização do mar territorial”.

O Executivo considera que “os ilícitos constatados” na exportação de mercadorias através das fronteiras terrestres, marítimas e fluviais “impõem a redefinição dos mecanismos de controlo”, de modo a torná-los mais eficientes e eficazes.

As medidas de controlo e monitorização das importações e exportações incluem, entre outras, ainda a implementação do Regulamento sobre o Comércio Fronteiriço, já aprovado pelo Conselho de Ministros, a adoção do sistema informático Asycuda World por todos os 79 postos aduaneiros do país.

O sistema Asycuda World facilita o comércio, a redução dos custos e os processos burocráticos, sendo utilizado em mais de 90 países, sobretudo da Europa de Leste, América Latina e África. O diploma refere também a necessidade de melhorar o modelo de fiscalização marítima.

Neste último ponto, o decreto presidencial contabiliza 557 embarcações apreendidas por infrações, e propõe a atualização da Lei da Marinha Mercante, Portos e Atividades Conexas, bem como da aquisição de, no mínimo, três embarcações náuticas – para fiscalização – para cada uma das províncias. Esta medida permitirá, lê-se, “assegurar a vigilância permanente dos perímetros de segurança das sondas e plataformas petrolíferas”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Cooperação económica

De braço dado com Angola

José Manuel Silva

O momento político angolano é propício à criação de laços baseados na reciprocidade e na igualdade de tratamento, sem complexos de nenhuma espécie. A história foi o que foi, o presente está em curso.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)