Agradecer, homenagear e traçar uma estratégia para a segunda volta das eleições presidenciais no Brasil. São estes os motivos que levam o candidato do Partido dos Trabalhadores (PT), Fernando Haddad, à prisão para visitar o antigo presidente do Brasil, Lula da Silva, preso por corrupção. A visita, que deverá decorrer ao longo da manhã desta segunda-feira, de acordo com a Folha de S.Paulo, é a primeira ação de campanha do candidato para a segunda volta, que irá disputar com Jair Bolsonaro.

O tesoureiro do partido, Emídio de Souza, irá acompanhar Haddad na visita à prisão. Emídio de Souza e Fernando Haddad são ambos advogados de Lula e, por isso, têm total liberdade de horário para visitar o antigo presidente brasileiro.

Haddad conquistou mais de 28% dos votos, este domingo, ficando atrás do candidato Jair Bolsonaro que venceu as eleições presidenciais com mais de 46% votos. Ambos vão disputar a presidência do Brasil, numa segunda volta. No discurso que deu depois da divulgação dos resultados, em São Paulo, Haddad agradeceu à família, ao PT e a Lula, “a sua maior liderança”.