Sondagens

Sondagem. PS perde intenções de voto, Bloco de Esquerda recupera

232

As intenções de voto no PS caíram um ponto percentual, estando nos 38,9%. Já o partido de Catarina Martins registou um aumento de 1,3 pontos percentuais, face à descida registada em setembro.

MÁRIO CRUZ/LUSA

As intenções de voto para ano Partido Socialista (PS) sofreram uma queda ao mesmo tempo que o Bloco de Esquerda (BE) recupera, de acordo com uma sondagem da Aximage para o Jornal de Negócios e para o Correio da Manhã.

As intenções de voto no PS caíram um ponto percentual, estando nos 38,9%. Em plena discussão para o orçamento do Estado, é o partido que regista a maior queda das intenções de voto para as próximas eleições legislativas. Nas últimas sondagens, entre julho de setembro, o partido de António Costa tinha registado um aumento de 0,9%, passando de 39% para 39,9%. Ainda assim, os valores são superiores aos resultados alcançados nas legislativas 2015: 32,31% dos votos.

Já o partido de Catarina Martins registou um aumento de 1,3 pontos percentuais, face à descida registada entre julho e setembro — de 9,5% para 7,8%. Depois de um verão marcado pelo caso Robles, o Bloco de Esquerda têm agora 9,1% de intenções de voto dos portugueses. O BE

Quer o PSD, quer o CDS estão estabilizados nos 24% e 9,2% respetivamente. Naquele que foi o primeiro verão sob a liderança de ex-autarca do Porto, Rui Rio, o PSD tinha sofrido a maior quebra na intenção de voto (3,1%), caindo de 27,2% para 24,1%. Em sentido inverso, o CDS tinha registado a maior aumento da intenção de voto (1,8%), passando de 7,4% em julho para 9,2% em setembro.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Greve

O povo é quem mais ordena e a CGTP está fora /premium

André Abrantes Amaral

Quando os motoristas de matérias perigosas param o país e não se revêem na CGTP é a própria Concertação Social que está posta em causa, o que revela o quanto a geringonça distorceu esta democracia.

Eleições Espanha 2015

Sombras da guerra civil /premium

Manuel Villaverde Cabral

Não se espera uma nova guerra civil mas não são de afastar enfrentamentos de vários géneros, incluindo físicos, apesar da pertença comum à União Europeia, cujos inimigos em contrapartida rejubilarão!

25 de Abril

O Governo Ensombrado vai ao circo

Manuel Castelo-Branco
143

Se hoje é possível um programa como o Governo Sombra, foi porque o Copcon de Otelo não vingou. Porque apesar de serem “apenas” 17 vítimas mortais, as FP25 foram desmanteladas e os seus membros presos.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)