Tech Auto

Americanos propõem nova bateria sólida já em 2019

131

A Charge CCCV está a ultimar uma nova bateria sólida que espera comercializar já no 2º trimestre de 2019. Pode incrementar a autonomia dos veículos eléctricos em 70%, o que, a confirmar-se, é notável.

Não há ninguém que se dedique seriamente ao negócio de baterias, destinadas ao sector automóvel, que não esteja a desenvolver a tecnologia de bateria sólidas, isto enquanto continua a optimizar as actuais, de iões de lítio. Mas há igualmente empresas como a Charge CCCV, uma startup americana fundada especificamente para desenvolver baterias sólidas e colocá-las no mercado quanto antes.

A Charge CCCV nasceu na Universidade Binghamton, em Nova Iorque, e há anos que apura o funcionamento dos C4V, solução patenteada que visa produzir baterias sólidas, optimizando estruturas químicas e produção de eléctrodos específicos para uma série de finalidades. A começar pelas baterias destinadas aos automóveis eléctricos.

Segundo os técnicos da Charge CCCV, que apresentaram recentemente as suas novas células numa conferência em Nova Iorque, estas actualmente já conseguem densidades energéticas de 380 Wh/kg, prevendo atingir 400 Wh/kg antes da passagem à produção em série, um valor impressionante quando comparado com as células que equipam os Tesla Model 3, tidas como as mais eficientes do mercado, mas que se ficam pelos 207 Wh/kg. Isto permite conceber uma bateria para um veículo como o Renault Zoe ou o Nissan Leaf (40 kWh) com apenas 100 kg, ou 250 kg, se pensarmos nas baterias de 100 kWh de um Tesla.

Mais leves e menos volumosas, as C4V não são 100% sólidas, uma vez que só 80% do electrólito líquido foi substituído por uma matéria sólida, tornando as baterias da Charge CCCV, por assim dizer, semi-sólidas. Ainda assim, terão a capacidade de aceitar cargas superiores sem aquecer tanto como as actuais de iões de lítio e, como não necessitam de cobalto – um dos materiais mais caros e presentes em maior quantidade nas baterias modernas – , serão sempre mais baratas.

Garantindo mais 70% de autonomia, as C4V vão permitir que um veículo que hoje anuncie cerca de 300 km entre recargas, eleve esta fasquia para 510 km. Os protótipos das novas baterias estão há muito na fase de testes, com a produção em série a estar agendada para a primeira metade de 2019, algures durante o 2º trimestre. Será a primeira bateria sólida a ser fabricada, com a C4V a chamar a atenção para o facto de a QuantumScape, que está a desenvolver uma solução similar e recentemente beneficiou de um investimento do Grupo Volkswagen próximo de 900 milhões de euros, só prever fabricar em série a sua bateria sólida em 2025.

Participe nos Prémios Auto Observador e habilite-se a ganhar um carro

Vote na segunda edição do concurso dedicado ao automóvel cuja votação é exclusivamente online. Aqui quem decide são os leitores e não um júri de “especialistas” e convidados.

Participe nos Prémios Auto ObservadorVote agora

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: alavrador@observador.pt
PSD

Quando o Papa não é católico /premium

Rui Ramos

Para o PSD, a exclusão do PCP e do BE é a grande prioridade nacional. Mas para isso, é indiferente votar PSD ou PS. Como explicaram os quadros do BCP, uma maioria absoluta do PS também serve.

Corrupção

O caso da OCDE e a corrupção /premium

Helena Garrido

O que se passou com a OCDE foi grave. O responsável pelo estudo foi impedido de estar presente na apresentação. E uma conferência da Ordem dos Economistas foi cancelada. Aconteceu em Portugal.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)