Cultura

Antiga hemeroteca de Lisboa vai ser transformada em centro cultural pelos jesuítas

190

Palácio histórico no centro de Lisboa será um espaço para o diálogo entre a fé cristã e a cultura, resultante de uma parceria entre a Companhia de Jesus e a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa.

O pólo cultural vai abranger a igreja e museus de São Roque e o Palácio dos Condes de Tomar

Leonardo Negrão

O histórico Palácio dos Condes de Tomar, no Bairro Alto, em Lisboa, onde funcionou durante décadas a Hemeroteca Municipal de Lisboa, vai ser transformado pelos jesuítas portugueses num centro cultural. Objetivo: promover o diálogo entre a fé cristã e as culturas urbanas contemporâneas.

Segundo explicou ao Ponto SJ o padre jesuíta Francisco Mota, responsável pela comissão instaladora do centro, o objetivo passa por “estabelecer pontes entre fé e cultura“, colocando “a tradição cristã em diálogo com as culturas urbanas contemporâneas”.

Na origem do projeto, uma parceria entre a Província Portuguesa da Companhia de Jesus e a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa (SCML), está a revista Brotéria, uma das mais antigas revistas científicas e culturais do país, fundada por jesuítas em 1902.

O novo pólo cultural será composto por duas partes: um nos espaços da igreja de São Roque e do arquivo e biblioteca da SCML, onde funcionarão espaços museológicos, e outro no palácio, onde estará a revista Brotéria. Do pólo cultural fazem parte o Museu de São Roque e a Casa Ásia, que abre no próximo ano e onde estará patente ao público a coleção de arte asiática que reúne o espólio de Francisco Capelo, transferido no ano passado para a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa.

Esse espaço, segundo o padre Francisco Mota, será “um espaço dinâmico, aberto à rua, que atrairá pela sua programação variada e atenta às questões atuais que quem vive numa cidade como Lisboa enfrenta“. Segundo o sacerdote, “a abertura à cidade não é contrária a esta identidade fortemente cristã”, mas, “pelo contrário, potencia-a”.

“As grandes questões económicas, políticas, urbanistas, artísticas, sociológicas, históricas, etc, são o contexto no qual a fé se move. É aí que a Igreja tem que estar, porque é aí que estão as pessoas — com as suas preocupações, desafios, esperanças”, considera Francisco Mota.

O espaço terá uma programação cultural que contará com exposições, debates, conferências e espetáculos, além de abrir o acervo da revista Brotéria a leitores e investigadores.

O objetivo é expor-nos ao diálogo e ao debate, para com isso pôr em evidência as convergências que existem entre a fé, a cultura e as ciências. Um diálogo entre a fé cristã e as culturas urbanas contemporâneas, para construir uma sociedade mais justa e humana”, defende Francisco Mota.

Recorde-se que, em 2015, o projeto para restaurar o palácio — que incluía a demolição de algumas partes do edifício — motivou o protesto do Fórum Cidadania Lx, que alegava que a instalação da biblioteca dos jesuítas seriam prejudiciais ao património que ali existia.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: jfgomes@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)