Prémios e Galardões

Marcelo condecora Universidade Católica por “devotado serviço à educação”

3.976

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, condecorou, esta quinta-feira, a Universidade Católica Portuguesa com o título de membro honorário da Ordem da Instrução Pública.

João Relvas/LUSA

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, condecorou esta quinta-feira a Universidade Católica Portuguesa com o título de membro honorário da Ordem da Instrução Pública por “cinco décadas de devotado serviço à educação e à cultura”.

A condecoração aconteceu no encerramento de um ciclo de conferências que assinalou os 50 anos da Universidade Católica Portuguesa, nas instalações desta instituição, em Lisboa.

Na presença da reitora, Isabel Capeloa Gil, e do chanceler desta universidade e cardeal patriarca de Lisboa, Manuel Clemente, o chefe de Estado declarou: “Excelências, nunca é tarde para cumprir um dever de consciência. No caso, um dever de consciência nacional”.

“Este é, pois, o momento de reconhecer formalmente o contributo da Universidade Católica Portuguesa a Portugal, que o mesmo é dizer aos portugueses: cinco décadas de devotado serviço à educação e à cultura, de notável sentido de missão comunitária, de porfiada preocupação de bem comum”, acrescentou.

Marcelo Rebelo de Sousa enalteceu o “mérito de chanceleres, de reitores, de dirigentes, de professores, de funcionários, de pais, de alunos, de benfeitores, de amigos” e “de toda a Igreja Católica”, que considerou ser um “elemento integrador da identidade nacional”.

“Eis porque importa assinalar essas cinco décadas através da atribuição do título de membro honorário da Ordem da Instrução Pública, em nome de Portugal”, defendeu.

A Ordem da Instrução Pública destina-se a “galardoar altos serviços prestados à causa da educação e do ensino”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Desigualdade

Estudar é para todos?

José Ferreira Gomes

Todos os jovens merecem igual consideração e há que evitar oferecer diplomas sem valor futuro no mercado de trabalho. O facilitismo só vem prejudicar os jovens, em especial os socialmente mais frágeis

Medicina

Reflexões de um jovem médico dentista

Luís Pereira Azevedo

77% dos Médicos Dentistas formados há menos de 2 anos têm uma remuneração inferior a 1500 euros brutos mensais. É grande a situação de precariedade e incerteza com que a profissão atualmente se depara

Desigualdade

Estudar é para todos?

José Ferreira Gomes

Todos os jovens merecem igual consideração e há que evitar oferecer diplomas sem valor futuro no mercado de trabalho. O facilitismo só vem prejudicar os jovens, em especial os socialmente mais frágeis

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)