O mais novo milionário africano foi raptado de um hotel de luxo, na capital da Tanzânia, Dar es Salaam, por um grupo de homens armados. Mohammed Dewji, de 43 anos, foi levado quando saía do ginásio do hotel onde estava alojado. O motivo do rapto é ainda desconhecido.

De acordo com o comissário da polícia regional da capital da Tanzânia, Lazaro Mambosaso, acredita-se que os assaltantes tenham conseguido entrar no edifício através de portões deixados abertos voluntariamente e, embora ainda não se saiba a sua identidade, acredita-se serem cidadãos estrangeiros. O rapto aconteceu às 6h30 da manhã (hora local) de quinta-feira, segundo depoimentos da polícia à CNN.

“Chegaram ao hotel num carro e começaram a disparar para o ar antes de o raptarem”, disse o comissário à CNN. De momento, prosseguem com interrogatórios aos funcionários que estavam de serviço no hotel a essa hora.

Dewji é o mais novo milionário da África e é um dos principais protagonistas no desenvolvimento do setor privado na Tanzânia, sendo conhecido por liderar a empregabilidade na África de Leste e Central. O grupo MeTL, que gere, é um negócio de família fundado pelo seu pai na década de 1970 que opera em seis países africanos e tem elevada predominância em setores como a agricultura, o comércio, a energia, a indústria têxtil, os transportes e os serviços financeiros.

Em 2016, o milionário doou metade da sua fortuna a causas humanitárias, ao serviço da campanha The Giving Pledge, e antes de se demitir em 2015, para dedicar mais tempo à sua família e aos seus negócios, serviu dois mandatos no Parlamento da Tanzânia.

De acordo com a revista Forbes, Mohammed Dewji tem nas suas mãos 1.5 mil milhões de dólares.