Rádio Observador

Acidentes e Desastres

Barco de pesca naufraga em Espinho. Há pelo menos um morto e um tripulante foi resgatado com vida

Um barco de pesca da Póvoa do Varzim naufragou, esta segunda-feira, ao largo de Espinho. A bordo seguiam cinco tripulantes, um deles resgatado com vida. Há pelo menos um morto confirmado.

LUÍS FORRA/LUSA

Autor
  • Mariana Béu

Um barco de pesca da Póvoa do Varzim naufragou, esta segunda-feira, ao largo de Espinho, apurou o Observador junto da Polícia Marítima do Douro. De acordo com a mesma fonte, a embarcação teria cinco tripulantes. Um foi resgatado com vida, outro foi encontrado já morto e os outros três estão ainda desaparecidos.

Segundo apurou ainda o Observador, o tripulante que foi resgatado será o mestre da embarcação, que foi de imediato encaminhado para o Hospital de Santa Maria da Feira, onde se encontra estável. Segundo o JN, o homem tem 54 anos e foi encontrado a cerca de 20 quilómetros da costa de Esmoriz, junto aos destroços do barco. Não há ainda informação sobre o tripulante que morreu.

O alerta do naufrágio foi dado por volta das 9 horas da manhã desta segunda-feira. A embarcação, que segundo a Polícia Marítima se trata da traineira “Mestre Silva”, terá saído do porto de Leixões, na noite de domingo, para pescar em Espinho, tendo o acidente acontecido a cerca de 10 milhas da costa.

O capitão do Porto de Leixões, Rodrigues Campos, explicou à SIC Notícias que, de acordo com os relatos do mestre da embarcação, o acidente terá sido provocado por “uma onda mais alta que acabou por apanhar a embarcação de lado, virando-a”.

De imediato foram iniciadas as operações de busca e salvamento, que ainda prosseguem entre Esmoriz e Espinho — embora, segundo o capitão Rodrigues Campos, a visibilidade não seja muito boa, a rondar os 300 a 400 metros. O responsável garante ainda que estão no local todos os meios disponíveis: um helicóptero, um avião da Força Aérea, uma embarcação do Instituto de Socorros a Náufragos e alguns barcos de pesca que estão a ajudar nas buscas.

Rodrigues Campos refere ainda à SIC Notícias que o barco estava autorizado a navegar, tinha 12 metros de comprimento e as vistorias em dia até junho do próximo ano.

De acordo com o jornal Público, as autoridades têm ainda a expectativa de que os três elementos da tripulação desaparecidos possam estar a salvo, caso tenha sido acionada a respetiva balsa salva-vidas.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Floresta

As lições que continuamos a não querer aprender

António Cláudio Heitor

É mais fácil culpar o desleixo, a mão criminosa e a falta de gestão dos proprietários, do que assumir o erro de centrar as questões no combate. A raiz do problema está na desertificação do mundo rural

Incêndios

Incêndios: alguém puxou a cassete para trás

Teresa Cunha Pinto

Reduziram Portugal a um campo de batalha dividido ao meio, onde num lado estão os que merecem e do outro os que não merecem. Este país profundamente só e abandonado deixa-nos a todos sem chão.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)