Cinco pessoas foram esta segunda-feira detidas na província de Izmir, no sudoeste da Turquia, após um acidente de viação que matou no domingo 22 imigrantes, incluindo crianças, informou a agência turca estatal Anadolu.

Entre os detidos constam três cidadãos sírios, precisou a agência noticiosa oficial turca.

Vinte e dois migrantes sem documentos morreram e outras 13 pessoas ficaram feridas no domingo numa estrada turca quando o veículo que os transportava se despistou e caiu no leito de um rio alguns metros abaixo.

A nacionalidade dos migrantes não foi revelada até ao momento, mas informações divulgadas no domingo indicaram que existiam crianças entre as vítimas.

Aparentemente, os migrantes estavam a ser transportados para o litoral, provavelmente para a península de Dilek, que fica a poucos quilómetros de distância da ilha grega de Samos.

O condutor do veículo, um turco de 35 anos, sobreviveu ao acidente e encontra-se hospitalizado.

Em declarações à polícia, citadas pela agência noticiosa turca DHA, o motorista relatou que teve de desviar-se de um veículo que vinha em contramão. A DHA precisou que o motorista é um dos cinco detidos.

A Turquia é um importante ponto de trânsito de migrantes vindos do Médio Oriente, Ásia e África e que pretendem entrar na Europa através da Grécia.

Um milhão de migrantes transitaram da Turquia para a Grécia em 2015, provocando uma crise migratória que seria estancada com um controverso acordo assinado em março de 2016 entre o governo de Ancara e a União Europeia (UE).

Desde então, o número de migrantes que utilizam esta rota diminuiu significativamente.

Mesmo assim, e segundo os dados mais recentes, quase 25 mil migrantes chegaram à Grécia desde o início do ano corrente e 118 pessoas morreram durante a travessia entre a Turquia e o território grego.