Rádio Observador

Benfica

Benfica e Google chegam a acordo e evitam processo judicial no caso dos emails

Em reação às notícias de um acordo com o Benfica sobre o caso da divulgação dos emails, a Google disse que "respeita a lei e está a agir em conformidade com um processo legal válido nos EUA".

ANTÓNIO COTRIM/LUSA

Autores
  • Agência Lusa

A Google reagiu à notícia de um acordo com o Benfica sobre o fornecimento de dados pessoais dos blogues associados à divulgação anónima de correspondência eletrónica dos encarnados — “Artista do Dia” e “Mister do Café”. A empresa norte-americana referiu que “respeita a lei e está a agir em conformidade com um processo legal válido nos EUA”. Fora do âmbito deste acordo fica o blogue “Mercado de Benfica”, que está alojado na WordPress e não na Google. O Benfica, que já intentou uma ação judicial, ainda não conseguiu obter a identidade do autor do referido blogue.

A Google notificou os utilizadores envolvidos que tiveram a oportunidade de contestar o processo legal num tribunal norte-americano”, acrescentou a empresa num comunicado divulgado.

Ainda esta quarta-feira, o Correio da Manhã avançou que os encarnados tinham chegado a um acordo com a Google, desistindo da ação contra a empresa e, em troca, o Benfica recebia os elementos identificativos sobre os autores dos blogs. À agência Lusa, o Benfica confirmou ter chegado “a acordo com diversas empresas e plataformas em defesa dos legítimos interesses do Sport Lisboa e Benfica”.

Na terça-feira, o Jornal de Notícias, na sua edição impressa, noticiou que um tribunal da Califórnia travou a divulgação de dados de bloggers pedida pelo Benfica numa ação civil que deu entrada em abril último, interposta pelos encarnados contra desconhecidos e empresas. O Benfica queria responsabilizar a Google (que integra a Blogspot), a Automatic (que gere a WordPress) e a Cloudfare.

Na queixa, os encarnados exigiam que os conteúdos privados, relativos à sua correspondência, fossem eliminados e que o responsável pelo acesso à informação fosse chamado à justiça. A isso acrescentaram outras duas condições: o Benfica queria que os lucros alegadamente obtidos com a divulgação da informação fossem entregues e que os custos do processo judicial fossem da responsabilidade dos acusados. A Google, citada pelo JN, referiu na resposta que o clube “não tem elementos suficientes para apresentar uma queixa viável”, afirmando não ter qualquer relação com os bloggers e que não teve qualquer lucro com a situação.

Há cerca de quatro semanas, a Google notificou o blogue “Artista do Dia”, afeto ao Sporting, de que poderia vir a fornecer os seus dados ao Benfica, nomeadamente o IP, o que permitiria acesso aos administradores e responsáveis daquela página. A notificação aconteceu na sequência de uma denúncia apresentada pelo clube a propósito do caso dos emails e da revelação de correspondência privada de alguns dirigentes. A informação faz parte de uma reportagem assinada pelo The New York Times, com o título “Benfica, um grande clube que está a ir atrás de pequenos bloggers

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)