O indicador coincidente para a atividade económica manteve em setembro a descida iniciada em outubro de 2017, tendo o indicador para o consumo privado também recuado no mês passado, segundo dados esta sexta-feira divulgados pelo Banco de Portugal.

Segundo o Banco de Portugal (BdP), em setembro, “o indicador coincidente mensal para a atividade económica diminuiu, mantendo a trajetória descendente iniciada em outubro de 2017”, enquanto o indicador coincidente mensal para o consumo privado “voltou a reduzir-se face ao mês anterior”.

Assim, o indicador coincidente mensal para a atividade económica recuou para 1,8% face aos 1,9% de agosto, enquanto o indicador coincidente mensal para o consumo privado diminuiu para 1,4% em setembro, contra 1,6% do mês anterior.

Segundo o BdP, os indicadores coincidentes são indicadores compósitos que procuram captar a evolução subjacente da variação homóloga do respetivo agregado macroeconómico.